PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mulher é morta poucas horas após comemorar aniversário; marido é suspeito

Marido de Telma Dias, de 33 anos, teria confessado crime a familiares, que acionaram a polícia - Reprodução/Facebook
Marido de Telma Dias, de 33 anos, teria confessado crime a familiares, que acionaram a polícia Imagem: Reprodução/Facebook

Luan Martendal

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

11/05/2021 22h01Atualizada em 12/05/2021 09h06

Telma Gervásio Dias, de 33 anos, foi encontrada morta poucas horas após comemorar o próprio aniversário em sua casa, na cidade de São Miguel do Oeste, a 660 quilômetros de Florianópolis.

A vítima foi atacada com golpes de faca dentro da residência, na madrugada de hoje, e seu companheiro, de 29 anos, é o principal suspeito do crime. Antes de fugir, ele teria confessado o homicídio a familiares, que acionaram a polícia.

A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar às 3h55. Segundo testemunhas, Telma e o marido discutiram durante a madrugada. Na casa, além do casal, viviam duas crianças, uma delas, uma menina, é filha da vítima com o suspeito. Segundo as investigações, elas não teriam presenciado o crime.

Uma perícia médico-legal feita no corpo da mulher indicou que ela foi golpeada diversas vezes na região das costas, morrendo ainda na residência.

O caso foi encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de São Miguel do Oeste, que abriu inquérito para esclarecer a motivação do crime.

Ao UOL, a delegada responsável pela investigação, Lisiane Junges, informou que ao longo do dia diversas testemunhas foram ouvidas, incluindo familiares do suspeito e da vítima. A delegada afirma que, apesar da motivação ainda não ter sido esclarecida, o caso "está caracterizado como feminicídio por conta do homicídio ter sido cometido no contexto de violência doméstica".

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito possui passagens policiais por motivos diversos, dentre eles tentativa de homicídio, descumprimento de medida judicial, violência doméstica e ameaça, mas, no momento, não havia pedido de medida protetiva ativo contra ele.

A polícia mantém diligências para tentar capturá-lo.

O UOL também tentou contato com a família de Telma Gervásio Dias, que é natural de Manaus (AM), mas até a publicação da reportagem não obteve retorno.

Última publicação foi 'desejo' de aniversário

Em sua última publicação nas redes sociais, durante sua comemoração de aniversário, Telma havia agradecido aos amigos pelas felicitações que recebeu e pediu que seu presente este ano fosse que todos se protegessem contra a covid-19.

"Muito obrigada, amigos, tenho gratidão por cada um de vocês. Agradeço muito e eu só peço a vocês que se cuidem da covid-19, porque não é brincadeira. Usem máscara e álcool em gel. Beijos", desejou a mulher, em vídeo.

Após o crime, amigos voltaram à publicação para se despedir e pedir por justiça.

"Justiça por Telma", "quero lembrar de você sempre com esse sorrisão lindo que você tem" e "que Deus tenha um lindo lugar para você" foram algumas das homenagens publicadas.

A organização sem fins lucrativos "Feminicídio - Parem de nos matar" também fez uma postagem para homenagear a vítima, destacando que Telma Gervásio Dias era seguidora do coletivo.

"Perdemos mais uma das nossas. Estou com meu coração partido. Descanse em paz Telminha, que Deus a tenha em um ótimo lugar e que a justiça dos homens faça sua parte", manifestou a página.

Cotidiano