PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Idoso nega ter jogado ácido em faxineira, mas não identifica substância

Do UOL, em São Paulo

21/07/2021 18h20Atualizada em 22/07/2021 10h12

O idoso de 70 anos flagrado jogando uma substância tóxica no rosto de uma ex-funcionária, que trabalhou como faxineira em sua casa, afirmou que não utilizou ácido no ataque, apesar de "não saber dizer o que tinha" no frasco despejado sobre a mulher.

As informações foram passadas ao UOL pelo 4º Distrito Policial de Catanduva, no interior de São Paulo, responsável pelas investigações. Segundo as autoridades, o idoso responde em liberdade até a conclusão do inquérito por lesão corporal e ameaça.

Para concluir o inquérito, os investigadores esperam o laudo das lesões da vítima feito pelo IML (Instituto Médico Legal) e um exame de corpo de delito no próprio idoso, que, segundo a delegacia, apresentava marcas de agressão.

Ainda serão anexados os resultados de perícias em uma tesoura, que estava em posse do idoso, e em uma barra de ferro, que teria sido usada pela faxineira na cena do incidente, além das imagens que capturaram o momento em que a substância foi jogada no rosto da mulher.

O caso

O caso envolve Franciele Priscila, de 31 anos, e o ex-patrão, Luiz Sérgio, que já prestou depoimento à polícia.

De acordo com informações do boletim de ocorrência - registrado pelo marido da vítima -, a mulher trabalhou por cerca de três anos na casa de Luiz Sérgio. Ela foi demitida porque ele, que é fabricante de produtos de limpeza, ficou irritado depois que Francieli derrubou um dos materiais de forma acidental, segundo o relato.

Segundo o boletim de ocorrência, a demissão não ocorreu de maneira amigável. A mulher relatou à polícia que, depois de chegar em casa, recebeu uma ligação do ex-patrão em que ele fez, segundo a faxineira, ameaças de morte ao filho dela, de 11 anos.

Inconformada com o comportamento do ex-patrão, ela retornou à casa dele com a intenção de entender o que estava acontecendo. "Você não é o todo machão?", indagou a faxineira, que portava um bastão de metal na mão, enquanto o fabricante saía do imóvel com uma garrafa numa mão e um pedaço de madeira na outra.

"Qual é o problema?", respondeu o homem, aproximando-se da vítima e despejando o ácido no rosto dela. "Vem cá, vem", disse Luiz Sérgio, segurando-a pelos cabelos e prosseguindo com a agressão. "Nunca mais vai usar produto de beleza", diz o ex-patrão no vídeo.

A cena foi gravada e entregue aos policiais para ajudar nas investigações.

"Eu não estou bem. Minha boca está em carne viva e eu não estou enxergando quase nada com meu olho direito", contou Franciele em entrevista ao UOL. "Amanheci com muita tosse, passando mal mesmo e o médico vai ver como vai ficar", concluiu.

Franciele acusa Luiz Sérgio de haver planejado o ataque, já que ambos estavam discutindo havia dois dias.

Cotidiano