PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Avô rifa Fusca 1976 para ajudar a pagar faculdade de medicina da neta

Pietra Bianca e o avô, Walter, ao lado do fusca que está em rifa para ajudar a pagar faculdade - Arquivo Pessoal
Pietra Bianca e o avô, Walter, ao lado do fusca que está em rifa para ajudar a pagar faculdade Imagem: Arquivo Pessoal

Do UOL, em São Paulo

03/08/2021 21h19Atualizada em 04/08/2021 08h30

Um avô decidiu abrir mão de seu fusca, uma relíquia de 1976, para ajudar a pagar a faculdade da neta, que cursa o segundo semestre de medicina na região de Blumenau (SC), onde a família mora.

Walter Lautenschlager, de 69 anos, teve a iniciativa de vender o carro depois que as mensalidades do curso da neta começaram a atrasar. Ao UOL, Pietra Bianca, de 19 anos, conta que em um primeiro momento não ficou feliz com a ideia, por saber que o veículo era importante para o avô, mas depois sentiu gratidão pelo ato.

"Eu sabia que ele era apegado e eu não queria que ele tivesse que sacrificar isso por mim. Mas depois eu vi que não era tão sacrifício, porque o maior sonho dele é que eu realize o meu, é o sonho dele também. Então, a partir do momento em que eu percebi isso, eu fiquei muito feliz e muito grata por ele", afirmou Pietra.

A universitária conta que o avô comprou o fusca há alguns anos, já aposentado, com a ideia de reformar o veículo, apenas por diversão. Depois que ele propôs vendê-lo para ajudar a quitar as mensalidades, a mãe de Pietra, que trabalha como professora na rede pública, conversou com um colega de trabalho que teve a ideia de transformar a ação em uma rifa.

A venda dos números começou no início do mês passado, com a ideia de chegar às 1.000 fichas. Até o momento, segundo a estudante, ela estipula ter vendido cerca de 400.

Pietra conta que o sonho de cursar medicina, que ocupa sua vida em tempo integral, já era antigo.

"Eu nem sei te dizer quando começou, porque eu sempre quis fazer medicina. Meu primeiro contato, segundo minha avó, foi quanto eu tinha uns 4 anos e estava vendo uma novela. Nela tinha uma pediatra, e era uma pediatra muito legal. E ali eu vi a profissão e nunca mais tirei da cabeça", detalha.

A jovem conta que teve a chance de entrar na faculdade já no final do terceiro ano do ensino médio, em 2019, quando foi aprovada no vestibular da mesma instituição em que estuda hoje. Mas como ela e a família não estavam esperando uma aprovação "de primeira", não tinham guardado dinheiro para a matrícula.

Eles decidiram esperar mais um ano, se organizaram, e conseguiram realizar os pagamentos iniciais para que Pietra ingressasse em seu curso dos sonhos. Mas com apenas 25% de bolsa e financiamentos estudantis negados, a estudante, seus avós e sua mãe decidiram organizar a rifa.

Interessados em contribuir podem comprar um número do sorteio pelo Instagram. A rifa será realizada por meio da Loteria Federal.

Cotidiano