PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Polícia apura como corpo de empresário foi parar a 50 km de onde acharam ex

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

16/09/2021 13h05

O corpo do empresário Leonardo Marchado, que foi encontrado ontem no mar em Ilha Grande, na região da Costa Verde do Rio, foi localizado em uma área de difícil navegação, segundo a Polícia Civil do Rio. A corporação apura os motivos para os corpos dele e da ex-mulher terem sido encontrados tão distantes um do outro - a cerca de 50 km em linha reta.

Leonardo estava enrolado em uma rede e foi achado boiando próximo a Praia do Provetá e a Ilha dos Meros, região com muitas pedras, como o nome da praia já revela. Provetá significa "sobre pedras" em tupi-guarani.

O empresário, que estava desaparecido há quase um mês, foi localizado por um pescador, que acionou o Corpo de Bombeiros. Os militares usaram uma lancha e um bote no resgate.

Já a ex-mulher dele, Cristiane Nogueira, de 48 anos, que o acompanhava em um passeio de barco, foi encontrada na região da Marambaia, na zona oeste do Rio, uma semana após o desaparecimento. Os dois saíram no dia 22 de uma casa em Angra dos Reis com destino à Lagoa Verde, atração turística na região, e desapareceram.

De acordo com o delegado Vilson de Almeida, responsável pelas investigações, a Polícia Civil aguarda a Capitania dos Portos e o Corpo de Bombeiros para resgatar um barco na região, que pode estar naufragado onde o corpo de Leonardo foi encontrado. Segundo ele, as correntes marítimas que atuam no local podem justificar a distância onde os corpos foram localizados.

"Estamos aguardando a Capitania dos Portos e os bombeiros resgatarem a embarcação para poder realmente confirmar o que houve. O corpo do Leonardo foi encontrado próximo à Praia do Provetá e o corpo da Cristiane lá na Marambaia, mas tem correntes marinhas que podem justificar esse distanciamento [entre a localização dos corpos]", afirmou Vilson.

A distância em linha reta entre a Marambaia e a praia do Provetá é de pouco mais de 50 km.

A Praia do Provetá recebe o mesmo nome da vila da região habitada basicamente por pescadores e famílias evangélicas. O local tem 3 mil habitantes e é considerado tranquilo.

Empresário estava com documentos no bolso

Segundo a Polícia Civil, Leonardo foi encontrado com os documentos no bolso. A ex-mulher dele o reconheceu também por fotos enviadas e pelo relógio que usava. De acordo com a perícia do IML (Instituto Médico Legal) a causa da morte foi afogamento.

A Polícia continua investigando o caso. Desde que o corpo da ex-mulher dele foi encontrado no último dia 30, sem marcas de violência, a delegacia de Angra dos Reis passou a investigar o caso como naufrágio. A causa provável da morte da corretora de imóveis também foi afogamento.

A outra ex-esposa de Leonardo, Vanessa Morret, fez um desabafo emocionada nas redes sociais ontem.

"Por mais que a gente estivesse esperando por isso e soubesse que era a maior possibilidade [a morte dele], ninguém estava pronto para dizer adeus ao Léo. Eu sou ex-mulher, sou amiga do Léo, para mim dói, ele era uma pessoa pela qual minha família, meu marido, eu, têm carinho. É o pai da minha filha. A gente tem que acreditar que Deus sabe o que faz", disse ela.

Leonardo foi encontrado com as mesmas roupas que usava no dia do passeio - blusa preta e bermuda bege. A Polícia Civil teve acesso a imagens da casa onde o casal estava hospedado. As câmeras de segurança mostraram Leonardo e Cristiane deixando o imóvel, por volta de 17h, e seguindo em direção à embarcação, no último dia 22. A intenção deles era ver o pôr do sol na Lagoa Verde.

O casal estava passando um final de semana em Angra dos Reis e de acordo com a família tentava uma reconciliação. A família de Cristiane comunicou o desaparecimento à polícia após perder o contato com a corretora de imóveis e ela não ter retornado para o Rio de Janeiro, no dia 23 de agosto.

Durante as buscas pelo casal, uma janela e uma boia da embarcação foram encontradas.

Cotidiano