PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Vans são incendiadas em meio a conflito entre milicianos no RJ

Vans incendiadas interromperam transporte em bairros na zona oeste do RJ - Reprodução/Facebook
Vans incendiadas interromperam transporte em bairros na zona oeste do RJ Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo*

16/09/2021 15h50Atualizada em 16/09/2021 15h50

Pelo menos oito vans foram incendiadas na zona oeste do Rio de Janeiro na manhã de hoje, em áreas dominadas por grupos milicianos, interrompendo a circulação dos veículos de transporte na região e reduzindo as frotas de ônibus nas áreas afetadas.

A suspeita é de que os casos tenham ligação com o conflito entre milicianos intensificado após a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, que era líder do maior grupo paramilitar da cidade. Desde jullho, ao menos três lideranças de milícias foram assassinadas, reconfigurando o mapa das facções criminosas do Rio.

Após os incidentes da manhã de hoje, a Polícia Militar informou que equipes de todos os batalhões da região estão fazendo patrulhamento nas principais vias e sobrevoando a área para impedir novos ataques.

Nas redes sociais, moradores de bairros como Campo Grande e Santa Cruz registraram que houve intenso tiroteio, inclusive em direção a um grupo de mototaxistas. Também existem relatos sobre novas mortes em meio ao conflito, mas a informação ainda não foi confirmada pela Polícia Militar, após contato do UOL. Se houver resposta, a matéria será atualizada.

Entenda a disputa

Wellington da Silva Braga, o Ecko, era considerado o criminoso mais procurado do Estado e foi morto em 12 de junho durante ação da Polícia Civil. Naquele dia, ele foi baleado no início da manhã quando visitava a mulher e os filhos na Comunidade das Três Pontes, em Paciência, também na zona oeste do Rio de Janeiro.

Com a morte do líder, houve um racha na milícia comandada por ele. Uma das partes passou a ser comandada por Luis Antônio da Silva Braga, o Zinho, irmão de Ecko. Outra ficou sob as ordens de Danilo Dias Lima, conhecido como Tandera. Seriam eles os envolvidos nos incêndios e tiroteios desta manhã.

De acordo com a Polícia Civil, atualmente há três grandes facções de milicianos atuando na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. As três já foram aliadas, inclusive trocando soldados para lutarem juntos em guerras contra o Comando Vermelho, mas romperam nos últimos meses e passaram a se enfrentar.

* Com informações de Estadão Conteúdo

Cotidiano