PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

SP: Gerente da Sabesp descarta racionamento de água na região metropolitana

Volume total dos reservatórios que abastecem a região metropolitana é de 37,2% - Pedro França/Agência Senado
Volume total dos reservatórios que abastecem a região metropolitana é de 37,2% Imagem: Pedro França/Agência Senado

Do UOL, em São Paulo

13/10/2021 09h04

O gerente de recursos hídricos da região metropolitana da Sabesp, Adilson Nunes, disse que "não existe no momento risco de racionamento de água" na região. Em entrevista à TV Globo, Adilson afirmou que o início do período de chuvas deve garantir o abastecimento na Grande São Paulo.

"É esperado que no fim do período seco os níveis dos reservatórios estejam menores. Mas no início do período úmido, que começa em outubro e vai até o final do março, já houve chuvas e elas primeiro não se traduzem diretamente em volume de água para os rios que vão para as represas e recuperam o nível, mas já umedecem o solo. Essa água infiltra e numa próxima chuva essa água se reflete em volume de armazenamento nos mananciais", completou.

Segundo Adilson Nunes, existe a previsão de chuva para a região metropolitana nos próximos dias e, no momento, os níveis garantem o abastecimento.

"Temos previsão de chuva nos próximos dias e os níveis do reservatório neste momento são satisfatórios, o que nos leva a garantir à população da cidade de São Paulo que não teremos problemas de racionamento de água na região metropolitana nos próximos dias, embora a gente sempre peça o uso consciente", disse.

Segundo dados publicados na manhã de ontem, o volume total dos reservatórios que abastecem a região metropolitana é de 37,2%. O Sistema Cantareira, que abastece 7,2 milhões de habitantes da Grande São Paulo, tem seu pior nível em 5 anos, com 28,6%.

Apesar de descartar o racionamento neste momento, a Sabesp tem adotado a redução de pressão durante a noite em alguns bairros da capital e cidades da Grande São Paulo. No interior, a escassez de água já provocou racionamento no abastecimento em algumas cidades, como Franca.

Cotidiano