PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

PM mata 8 homens suspeitos de planejar roubos, em Goiás

Polícia afirmou ter apreendido armas, munições e celulares no sítio - Divulgação/PM de Goiás
Polícia afirmou ter apreendido armas, munições e celulares no sítio Imagem: Divulgação/PM de Goiás

Colaboração para o UOL, em Goiânia

08/12/2021 13h25Atualizada em 08/12/2021 18h07

Oito homens, com idades entre 17 e 40 anos, foram mortos pela Polícia Militar em uma chácara de Araçu (GO), a 65 km de Goiânia, na madrugada de hoje. Segundo a corporação, há informações de que o grupo, reunido no local desde segunda-feira (6), planejava roubar caixas eletrônicos de bancos da cidade de Nova Crixás (GO). Nenhum policial foi ferido.

De acordo com o comandante de Operações de Cerrado, coronel Marcelo Granja, o grupo não é do estado de Goiás e reagiu com tiros à chegada da polícia. Os suspeitos não tiveram as identidades reveladas.

"Recebemos informações que esse grupo planejava assaltos em Goiás e montamos uma operação. No local, fomos recebidos a tiros pelos suspeitos e revidamos a agressão", afirmou o coronel.

Os oito suspeitos foram levados para o pronto-socorro de Araçu e morreram no local, ainda de acordo com a PM. Até o fim da manhã de hoje os corpos continuavam na unidade.

Novo cangaço

O coronel afirmou que as investigações iniciais apontam que os suspeitos faziam parte de uma quadrilha do novo cangaço, que comete assaltos a bancos.

Segundo ele, o armamento encontrado com o grupo, explosivos e mensagens nos celulares dos suspeitos são provas de que eles cometeriam crimes em Goiás nos próximos dias.

"Pelas conversas a que tivemos acesso, mais criminosos viriam para auxiliar nos assaltos", disse Granja.

Segundo a PM, dez armas de fogo foram apreendidas, sendo três espingardas, cinco pistolas e dois revólveres, além de rádios comunicadores e explosivos, que foram detonados na própria chácara.

"A chácara é alugada geralmente para eventos. O casal que cuida do local disse que não suspeitou do grupo", afirmou o coronel da PM.

Segundo ele, os suspeitos de integrarem a organização criminosa tinham passagens na polícia por roubo de carga e assalto a bancos.

O UOL entrou em contato com a Polícia Civil para questionar sobre a investigação do caso. A corporação disse que, como o ocorrido foi em um suposto confronto com a PM, apenas a SSP Secretaria de Segurança Pública (SSP) poderia se pronunciar sobre o assunto.

A SSP foi procurada pela reportagem por telefone e email, mas, até o momento, ainda não enviou um posicionamento sobre o ocorrido. Este espaço será atualizado tão logo os responsáveis se manifestem.

Mortes em Varginha

Em outubro, uma operação conjunta entre as polícias Militar e Rodoviária Federal terminou com a morte de 26 suspeitos de estarem planejando assaltos a banco na cidade de Varginha (MG).

A operação foi a mais letal contra casos apontados como "novo cangaço" no país. O levantamento foi feito pelo UOL com base em informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e de entidades ligadas ao setor.

Na operação em Varginha, nenhum policial se feriu. Segundo as investigações da polícia, o grupo planejava um roubo de R$ 65 milhões em um centro de distribuição de valores do Banco do Brasil. Para isso, usaria a tática também conhecida como "domínio de cidades", que costuma ocorrer em municípios do interior, onde os criminosos com fuzis e explosivos dominam as forças de segurança, roubam as instituições financeiras e fazem moradores reféns, em uma ação marcada pela escalada da violência nos últimos meses.

Cotidiano