PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
4 meses

Bahia: Sobe para 20 o número de mortos pela chuva; 470 mil foram atingidos

Herculano Barreto Filho

Do UOL, em São Paulo

27/12/2021 16h10

Subiu para 20 o número de mortos em decorrência das fortes chuvas na Bahia, que deixaram 358 feridos e já atingiram mais de 470 mil pessoas. A informação foi confirmada hoje (27) pela Defesa Civil.

O órgão já contabiliza mais de 60 mil pessoas desabrigadas ou desalojadas, segundo levantamento com dados enviados pelas prefeituras e consolidados pelo governo do estado. Todos tiveram de deixar suas casas, mas, no caso dos desabrigados, os cidadãos necessitam de assistência do governo para ter uma moradia temporária. Já são 116 municípios afetados —100 deles decretaram situação de emergência.

Os dois óbitos mais recentes ocorreram em Itabuna:

  • Uma mulher de 33 anos vítima de desabamento e
  • Um homem de 21 anos, levado pela correnteza.

Até então, eram tratados como desaparecimento.

As mortes foram registradas em Amargosa (2), Itaberaba (2), Itamaraju (4), Jucuruçu (3), Macarani (1), Prado (2), Ruy Barbosa (1), Itapetinga (1), Ilhéus (1), Aurelino Leal (1) e Itabuna (2).

De acordo com o governo da Bahia, 31 trechos de rodovias foram afetadas pelas fortes chuvas que assolam o estado desde o começo do mês. O monitoramento dos pontos atingidos está sendo feito pela Secretaria Estadual de Infraestrutura.

O governador Rui Costa (PT), que prometeu reconstruir casas e autorizar empréstimos sem juros aos lojistas, participa das ações de apoio em um gabinete avançado montado em Ilhéus. No Twitter, ele disse que é "o maior desastre já ocorrido na história da Bahia".

O pátio do aeroporto de Ilhéus está sendo usado como base para as dez aeronaves que atuam no salvamento de pessoas e na distribuição de alimentos. Também há bases montadas em Itapetinga, Vitória da Conquista, Ipiaú e Santa Inês.

Dois fenômenos meteorológicos foram responsáveis pelas chuvas fortes que atingiram as cidades do sul da Bahia: uma ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) e uma frente fria vinda do Espírito Santo. Esses dois fenômenos, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), ocorreram três vezes no mês de dezembro nessa mesma região do estado.

Com o solo úmido, mesmo chuvas mais fracas podem causar estragos.

Resgate é prioridade

Pela manhã, o governador sobrevoou a região para verificar o trabalho de socorro feito por mais de 150 bombeiros e policiais militares.

Nossa prioridade no momento é resgatar as pessoas que estão em risco. Estamos com helicópteros operando nas diversas cidades"

"Nesse primeiro momento, o [foco] é salvar as vidas das pessoas, cuidar da nossa gente. Hoje [ontem], por exemplo, a chuva reduziu um pouco, esperamos com Deus que a gente possa reduzir completamente essa chuva para tratar da reconstrução da cidade", disse o prefeito de Ilhéus Mário Alexandre (PSD) em entrevista à CNN.

As ações contam com o apoio de servidores do Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Norte, Maranhão, Paraíba e Sergipe.

Para evitar golpes, o Corpo de Bombeiros da Bahia disse que o órgão não recebe doações em dinheiro por transferências bancárias. As unidades em Salvador e nas cidades do interior estão recolhendo alimentos não perecíveis, água, materiais de higiene e roupas.

Pacientes ilhados são levados de bote pela Marinha

Hoje de manhã, embarcações da Marinha transportaram funcionários e pacientes em Ilhéus (BA) porque o Hospital Regional Costa do Cacau ficou inacessível depois do alagamento de pontos da rodovia BR-415.

O UOL apurou que equipes do Exército estão de prontidão desde sexta-feira (23), mas ainda não foram acionadas por falta de um pedido de autoridades locais. A reportagem pediu esclarecimentos às Forças Armadas e à Aeronáutica, mas ainda não obteve informações.

Na primeira temporada de chuvas, entre 11 e 22 de dezembro, foram transportadas cerca de 60 toneladas de donativos para 24 municípios do sul do estado.

Corte de energia 'por segurança'

A Neoenergia Coelba, companhia energética na Bahia, cortou parcialmente a energia elétrica de 15 cidades do interior do estado por segurança em razão das fortes chuvas que já deixaram mais de 16 mil desabrigados no estado.

"Por questões de segurança, a energia de localidades de alguns municípios precisaram ser desligadas devido ao nível das águas", afirmou a empresa ao UOL por meio de nota.

"Em situações como as que estamos vendo em diversas regiões do estado, nós precisamos fazer o desligamento de energia das residências onde o nível da água está próximo ou acima do medidor", explicou André Araújo, superintendente técnico da Neoenergia Coelba.

Cotidiano