PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Homem é suspeito de matar esposa, sogra e filha de 3 anos em Campinas (SP)

Homem foi preso após ligar para a Polícia Militar e confessar crime - Felipe de Souza/UOL
Homem foi preso após ligar para a Polícia Militar e confessar crime Imagem: Felipe de Souza/UOL

Felipe de Souza

Colaboração para o UOL, em Campinas (SP)

18/01/2022 16h32

Um homem foi preso em flagrante depois de ligar para a PM (Polícia Militar) informando que havia matado a esposa, a filha de três anos e a sogra. O crime aconteceu na casa onde a família morava em Campinas, interior de São Paulo, e a Polícia Civil acredita que tenha sido premeditado.

Miqueias Bernardes Santana, de 30 anos morava com a esposa, Claudia Bernardes Santos, de 34 anos, e a filha Manoela Bernardes Santana, de 3, no mesmo terreno que a sogra, Creuza Aparecida Felicio, 71, mas em casas diferentes, no bairro Vila Aeroporto, no Distrito do Ouro Verde, região mais populosa do município.

Na noite de ontem, o casal teria começado a discutir, e sogra veio apartar a confusão. O homem então 'surtou' e espancou Creuza com uma enxada. Os golpes, na cabeça, foram fatais. Nisso, a filha teria aparecido, e também foi atingida.

"Eu ouvi uns gritos de 'para, para, para', e depois um silêncio. Fiquei muito assustada", diz uma vizinha que preferiu não se identificar.

Conforme fontes da investigação, o homem dormiu com os corpos da filha e da sogra na residência, e, na manhã de hoje, matou Claudia com golpes de pá.

Na sequência, por volta das 9h, ele ligou para o telefone 190, dizendo que "havia feito uma besteira". Policiais militares foram até o local e prenderam o homem em flagrante.

Levado à 2ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Campinas, ele não demonstrou nenhum arrependimento pelos crimes.

"Aparentava ser uma família tranquila"

O UOL conversou com vários vizinhos hoje. Claudia era boleira, e muito conhecida na região. Tinha passado recentemente por uma cirurgia bariátrica, e estava se cuidando.

"Gente boa, calmos. Não aparentavam nada, nunca ouvi brigas. É muita tristeza imensa", disse a dona de casa Sandra Maria Cogo.

Andreia Brunelli, amiga da família, afirmou, porém, que ela queria se separar. "Ela estava se cuidando por causa dele, para ver se ele 'a notava'. Cláudia sempre falava que ele nunca dava atenção, não parava em emprego nenhum, mas nunca soube de nenhuma agressão física", contou.

Outros vizinhos disseram que Miqueias era alcoólatra, e que o vício na bebida também era algo que incomodava a esposa.

Ao lado de uma delegacia

Chama a atenção é que o local do crime fica ao lado de uma delegacia da Polícia Civil, na Rua Jananayra. O 9º Distrito Policial de Campinas, porém, não fica aberto durante à noite — os gritos foram ouvidos por volta de 21h, segundo os vizinhos.

Antes com plantão 24 horas, a delegacia passou a ter apenas um policial civil no período das 18h às 9h em 2017, com a criação da 2ª Delegacia Seccional da cidade, distante 16 km do local do crime.

Passos da investigação

O caso foi registrado como triplo feminicídio, os primeiros de Campinas em 2022.

A enxada e a pá foram apreendidas. O Instituto de Criminalística fez uma perícia para apurar em quais momentos as mortes aconteceram. Mesmo com o depoimento do homem, a ideia é tentar mapear os horários e os locais onde as vítimas foram agredidas.

Ainda não há informações sobre velórios e enterros.

Cotidiano