PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
6 meses

Governo Bolsonaro reage a Doria e condena 'uso político de tragédias'

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

30/01/2022 23h53

O MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional) disse condenar possível "uso político" por parte do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), das mais de 20 mortes provocadas por fortes chuvas que têm atingido diversas regiões do Estado desde sexta-feira (28).

A reação do MDR veio em resposta a um apelo público de Doria para que o governo federal libere recursos às prefeituras de São Paulo. "É importante que o governo federal não só se manifeste, mas que também destine recursos para que os munícipes se sintam atendidos", disse o tucano.

Até o momento, não foi recebida nenhuma solicitação de recursos do Estado ou dos municípios de São Paulo por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres. Portanto, o MDR não só condena o uso político da tragédia, como espera que o governador de SP atue no levantamento e no cadastramento dos danos no sistema para que o governo federal apoie as regiões conforme prevê a legislação. MDR (Ministério do Desenvolvimento Regional)

"Causa estranheza as declarações do governador João Daria, que parece desconhecer a natureza técnica do trabalho do MDR, órgão do governo federal que não se pauta pela política eleitoral", declarou a pasta ao UOL.

E eu quero repetir aqui: exige também a atenção do governo federal. Não é razoável que o governo brasileiro, diante de situações de tragédia em Minas Gerais, na Bahia, em São Paulo, ou em outros estados, esperando que não mais as tenhamos, mas, se houver, é importante que o governo federal também não só se manifeste, como destine recursos e apoio para que prefeitos e prefeitas se sintam também acolhidos e atendidos pelo governo federal. João Doria, governador de São Paulo

Vinholi: 'Não é hora de acirrar debates'

O Secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, reforçou o pedido de ajuda federal para as famílias afetadas pelas chuvas e defendeu que, por ora, qualquer disputa política seja deixada de lado.

"Para o governo de São Paulo, o que importa neste momento é o apoio aos municípios que necessitam de ajuda. Queremos saber se o governo federal vai apoiar o nosso Estado. Não é momento de acirrar qualquer outro debate", disse ao UOL.

19 mortos só na Grande São Paulo

Os transtornos provocados pelo mau tempo em São Paulo deixaram cerca de 660 famílias desabrigadas ou desalojadas, segundo informções da Defesa Civil. Entre as vítimas, há um total de oito crianças. Além disso, há seis feridos e 11 desaparecidos.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, há ocorrências espalhadas por todo Estado relacionadas às chuvas, como alagamentos, queda de árvores, quedas de muros e deslizamentos de terra; além de interdições totais ou parciais em rodovias. Segundo o governo de SP, os óbitos foram confirmados em 8 regiões:

  • Itapevi (1);
  • Arujá (1);
  • Francisco Morato (1);
  • Embu das Artes (3);
  • Franco da Rocha (5);
  • Várzea Paulista (5)
  • Jaú (1);
  • Ribeirão Preto (1).

R$ 15 milhões às cidades afetadas

Diante dos prejuízos, Doria prometeu destinar R$ 15 milhões aos municípios, em caráter emergencial. O valor será distribuído de acordo com a gravidade da situação de cada local e deve ser utilizado principalmente para o aluguel social e obras de encosta.

A previsão é que os recursos cheguem amanhã aos municípios.

Franco da Rocha receberá R$ 5 milhões, Francisco Morato receberá R$ 2 milhões e cada um dos seguintes municípios receberá R$ 1 milhão: Arujá, Embu das Artes, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Jaú, Capivari, Montemor e Rafard.

Leia a íntegra da declaração do MDR

"Informamos que, desde as primeiras horas, a Defesa Civil Nacional está em contato com a Defesa Civil do estado de São Paulo, seguindo os protocolos técnicos de alerta, amparo e assistência às regiões afetadas pelas chuvas. Já foram emitidos 78 alertas desde o último dia 26.

Neste domingo (30),o ministro Rogério Marinho telefonou para os prefeitos de Várzea Paulista, Embu das Artes, Francisco Morato e Franco da Rocha, onde há registros de óbitos, em solidariedade às vitimas e para assegurar apoio aos municípios, inclusive com a disponibilização de recursos.

Nesta segunda-feira (31), o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, viajará para São Paulo a fim de dar celeridade à assistência aos municípios.

Causa estranheza as declarações do governador João Daria que parece desconhecer a natureza técnica do trabalho deste ministério, que não se pauta pela política eleitoral.

Até o momento, não foi recebida nenhuma solicitação de recursos do estado ou dos municípios de São Paulo por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres. Portanto, o MDR não só condena o uso político da tragédia, como espera que o governador atue no levantamento e cadastramento dos danos no sistema para que o governo federal apoie as regiões conforme prevê a legislação.

Desde o fim do ano passado, uma série de ações nos estados mais afetados, que vão desde o reconhecimento federal de situação de emergência ou de calamidade pública até a liberação de recursos emergenciais, apoio técnico e articulação com outros órgãos federais para apoiar as localidades. Até o momento, já foram garantidos cerca de R$ 188 milhões para as localidades afetadas pelos temporais. Desse total, R$ 140 milhões estão assegurados para a Bahia e R$ 48 milhões, para Minas Gerais, estados em situação mais crítica.

As solicitações de recursos dos entes, estados e/ou municípios, e suas liberações estão ocorrendo em tempo recorde, com análise e liberação pela Defesa Civil quase que diariamente, em menos de 24h."

Política