PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Vaquinha online arrecada mais de R$ 13,5 mil furtados de casal de haitianos

Filhas do casal continuam morando com familiares no Haiti - Johnny Torres/Diário da Região
Filhas do casal continuam morando com familiares no Haiti Imagem: Johnny Torres/Diário da Região

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

07/05/2022 12h39

O casal de haitianos que foi furtado após juntar R$ 13,5 mil ao longo de quatro anos para trazer as filhas ao Brasil conseguiu recuperar o valor — e até um pouco mais — por meio de doações online.

Até as 12h deste sábado, a vaquinha virtual já havia levantado R$ 18 mil para o casal. A campanha foi organizada por vizinhos para ajudá-los a terem as filhas por perto.

O mecânico Donald Jean Jacques, 44, e a esposa Marie Yvrose Fils, 45, tiveram a casa invadida há uma semana. Todo o valor que os dois haviam economizado para trazer as filhas de 7 e 8 anos havia sido deixado debaixo de um colchão após ser sacado de um banco -- a ideia era trocar por dólares e mandar para a família comprar passagens para as crianças. Mas, tudo foi levado.

"A gente está muito feliz. Ainda não dá para acreditar que conseguimos tão rápido. A minha esposa só chora de tanta felicidade. Não vemos a hora de estarmos com nossas meninas", disse Donald.

Segundo ele, nos próximos dias a família pretende fazer os trâmites legais para que as crianças possam viajar e entrar no país. E, assim que o dinheiro da campanha virtual estiver disponível, eles comprarão as passagens aéreas das crianças.

"O Brasil tem muita gente boa, um povo muito bom e acolhedor", afirmou o mecânico.

Casa invadida

Donald e Marie tiveram a casa invadida na manhã de 30 de abril. Horas antes, o casal havia ido até uma agência bancária e sacado R$ 13,5 mil. Segundo eles, o saque foi necessário porque o banco que eles utilizam não realiza transações com o Haiti.

O dinheiro, então, foi guardado debaixo do colchão, na casa de fundos onde moram em São José do Rio Preto, no bairro São Francisco. Na sequência Donald e Marie saíram para comprar frutas e verduras em um estabelecimento próximo.

Quando voltaram, cerca de dez minutos depois, encontraram a janela do quarto arrombada, a casa revirada e perceberam que o dinheiro havia sido furtado.

A polícia foi chamada e um boletim de ocorrência foi registrado. Segundo as investigações, já há um suspeito do crime.

Vida no Brasil

Donald e Marie são da cidade de Porto Príncipe, capital do Haiti, e deixaram o local há quatro anos para fugir da violência.

Sem condições financeiras e sem saber como sobreviveriam no Brasil, eles deixaram as duas filhas sob os cuidados de familiares. Desde que chegaram, eles vivem em São José do Rio Preto (SP), onde Donald trabalha como mecânico e Marie, em uma fábrica de salgados.

Cotidiano