PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

PF vê risco de conflito entre indígenas pró e contra garimpo no Pará

região do garimpo Pista Velha, que fica na Terra Indígena Baú, no sudoeste do Pará - Divulgação
região do garimpo Pista Velha, que fica na Terra Indígena Baú, no sudoeste do Pará Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

22/05/2022 22h26

A PF (Polícia Federal) diz que há "situação de iminente crise e de conflito no âmbito dos indígenas Kayapós" pró e contra garimpeiros ilegais que atuam na Terra Indígena Baú, no sudoeste do Pará.

Para resolver o impasse, lideranças indígenas contrárias à mineração ilegal pediram ajuda da PF e da Funai (Fundação Nacional do Índio) para a retirada dos garimpeiros da Terra Indígena do Baú, bem como para a mudança do local hoje ocupado pelos indígenas dissidentes.

Na última quarta-feira (18), nove garimpeiros teriam sido detidos pelo grupo indígenas Kayapós contrário à extração ilegal de minério em suas terras. A ação teria ocorrido em um ponto de garimpo ilegal chamado de Pista Velha.

"Ao adentrar no garimpo Pista Velha, a Polícia Federal confirmou a informação de que os garimpeiros haviam sido retirados do local", diz a corporação em nota. Porém, a localização atual dos garimpeiros não foi informada.

Depois da ação em Pista Velha, os indígenas contrários ao garimpo ilegal pretendiam desativar outro ponto de mineração, chamado de Pista Nova, localizado a 10 quilômetros do primeiro.

Segundo organizações indígenas, existe no Pista Nova um grupo dissidente dos Kayapó que apoiam os garimpeiros ilegais em troca de uma porcentagem pequena dos lucros.

A captura dos garimpeiros ilegais, segundo a PF, "incitou uma reação incisiva e contrária por parte dos indígenas dissidentes do aldeamento Baú, que realizam atividades de mineração ilegal de ouro em outro garimpo, conhecido como Pista Nova, juntamente com alguns garimpeiros invasores".

Risco de confronto existe

A PF informou que as ações para evitar o confronto entre os indígenas começaram neste fim de semana, com apoio da Operação Guardiões do Bioma, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, da Funai (Fundação Nacional do Índio), da Força Nacional de Segurança Pública, da PRF (Polícia Rodoviária Federal), e do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

No diálogo com indígenas que fizeram a ação contra os garimpeiros, as autoridades buscaram o convencimento de que o conflito entre os próprios Kayapós não seria a solução para resolver o problema.

A liderança da área Baú, então, se comprometeu a deixar o Pista Velha nesta segunda-feira (23) e a "não realizar ações de ataque contra a comunidade indígena dissidente e garimpeira", segundo a PF.

Por outro lado, a liderança indígena solicitou ajuda da PF e da Funai para combater o garimpo ilegal.

"No local, foram colhidas informações que serão objeto de investigação para a adoção das medidas de polícia judiciária cabíveis, especialmente a responsabilização criminal de possíveis infratores. A PF informa que irá adotar outras ações de combate à mineração ilegal na Terra Indígena do Baú, para proteção dos indígenas que ali estão", disse a PF.

Cotidiano