PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Agricultor realiza sonho de menino e se forma aos 74 anos: 'Mágico'

Bronildo José Wenzel tinha o sonho de entrar na faculdade desde quando era jovem - Reprodução/TV Globo
Bronildo José Wenzel tinha o sonho de entrar na faculdade desde quando era jovem Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

24/05/2022 13h44Atualizada em 24/05/2022 15h03

Um agricultor de 74 anos realizou o sonho de se formar em agronomia, no Rio Grande do Sul. Bronildo José Wenzel se formou no sábado (21) pela UFFS (Universidade Federal Fronteira Sul).

O agricultor queria entrar em uma universidade desde que era menino, mas os pais não tinham condições de bancar os estudos dele e dos outros 10 irmãos. Com isso, teve de se dedicar ao trabalho no campo. "Era dali que vinha a sobrevivência, passava a noite e até a madrugada no trator", disse ele, à TV Globo.

Após ter seus dois filhos, Bronildo quis dar uma boa vida para a família, e a prioridade passou a ser garantir bons estudos para eles. "Eu dizia: 'não consegui realizar meu sonho, mas vocês vão ter que ir por mim'".

O filho Bruno München Wenzel, doutor em engenharia guímica, é grato ao pai. "Foi um grande incentivador nosso, tanto meu, quanto meu irmão, pra nos graduar e buscarmos conhecimento. Ele sempre acreditou na ciência", disse. Além dele, o irmão também possui mestrado.

Em busca do sonho

Após formar os filhos, Bronildo resolveu encarar o desafio para ser aprovado numa universidade federal e conseguiu na 2ª tentativa. "Eram 800 candidatos pra 50 vagas, acabei ficando na vaga 55", disse. "Depois, me preparei melhor e acabei ficando em 22º lugar".

O professor da universidade Edemar Rota contou que é uma experiência diferente ter um aluno mais velho em sala de aula. "Estamos acostumados com alunos recém-saídos do ensino médio. Se deparar com um aluno com mais idade do que você significa também tratar uma questão de experiência".

A colega de classe Jéssica Roma Moura afirmou que a vivência de Bronildo ajudou nos trabalhos. "Ele ajudou nos trabalhos pois tem uma vivência de campo muito maior que todos nós aqui, então ele trouxe essa experiência aqui pra dentro da faculdade. Ele emprestava a propriedade para realizarmos as práticas também".

Emocionado, Bronildo comemorou o feito. "É o momento mágico, que a gente tanto espera. Não sei até onde a gente consegue segurar a emoção".

Cotidiano