Conteúdo publicado há 5 meses

Oito pessoas morrem após ação policial em PE; vídeo mostra um dos ataques

Oito pessoas morreram após uma ação policial em Camaragibe, no Grande Recife (PE), entre a noite de ontem e a manhã desta sexta-feira (15). Após a morte de dois PMs, o suspeito de atirar contra os agentes e a mãe dele foram mortos. Uma gravação publicada nas redes sociais mostra também a execução de três irmãos do suposto atirador.

O que aconteceu:

A irmã, identificada como Ágata Ayanne da Silva, de 30 anos, registrou o momento em que ela e um irmão do suspeito foram executados. Um terceiro irmão também foi baleado e socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Os dois irmãos foram identificados como Amerson Juliano da Silva e Apuynã Lucas da Silva, ambos tinha 25 anos.

Nas imagens, dois homens encapuzados chegam ao local armados e atiram nas vítimas. O crime aconteceu na Rua São Geraldo, no bairro de Tabatinga, por volta das 2h. Na mesma região, horas antes, dois PMs foram mortos durante uma troca de tiros.

O registro mostra ainda que os atiradores ordenam que as vítimas levantem as mãos. "Tem câmera aqui, viu. Vocês chamaram para atirar em mim, foi?", disse o jovem.

O suspeito de ser o atirador, identificado como Alex Silva, morreu na manhã de hoje em confronto com a polícia. Ele teria trocado tiros com os agentes durante uma operação para prendê-lo.

A mãe do suspeito, Maria José Pereira, e outra mulher, que não foi identificada, também foram mortas, confirmou a governadora Raquel Lyra, em coletiva de imprensa realizada hoje. Os corpos das vítimas foram encontrados em um canavial em Paudalho, na zona da mata norte de Pernambuco. "A identidade [da segunda mulher] ainda está a ser confirmada, mas populares disseram que seria a esposa de Alex", disse o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Alessandro Carvalho.

A governadora lamentou as mortes e disse que os crimes serão investigados. "Infelizmente, oito vidas foram ceifadas em Pernambuco. A polícia está investigando cada uma delas como são, crimes bárbaros que aconteceram no nosso estado", disse. A governadora também se solidarizou com a família dos dois policiais assassinados.

Investigação

O secretário afirmou ainda que o suspeito tinha registro de Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador e não tinha antecedentes criminais. "Ele não tem nenhuma entrada por prática de crime. Nunca foi preso. (...) O 190 recebeu um chamado de que homens armados estariam sobre a laje de uma casa em Tabatinga. Foram para lá e, ao chegar ao local, na escada, os policiais estavam chegando e ele, de cima da escada, efetuou os tiros. E tiros precisos. Atingiram as cabeças dos dois policiais", contou Carvalho.

Continua após a publicidade

Nenhuma hipótese sobre a identidade dos homens encapuzados está descartada, esclareceu o secretário de Defesa Social de Pernambuco. "O que nós temos é: dois policiais foram assassinados ao atender a uma ocorrência. Cinco pessoas ligadas ao suspeito foram mortas em menos de 12 horas. Existe uma correlação. E é isso que nós vamos investigar", informou.

O MPPE (Ministério Público de Pernambuco), em conjunto com a 1ª Promotoria Criminal de Camaragibe e com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas instaurou dois Procedimentos Investigatórios Criminais para elucidar a dinâmica dos fatos sobre os oito homicídios.

O órgão requisitou à Polícia Civil, ao Comando da Polícia Militar, ao Instituto de Criminalística, ao Instituto de Medicina Legal e à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco laudos periciais e outras documentações referentes às investigações.

PMs foram mortos em troca de tiros

PM Eduardo Roque e PM Rodolfo José
PM Eduardo Roque e PM Rodolfo José Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Os PMs foram recebidos a tiros em uma abordagem no bairro de Tabatinga, segundo informações da Polícia Militar.

Continua após a publicidade

Os policiais foram identificados como o soldado Eduardo Roque de Barbosa Santana, 33, com seis anos de corporação, e o cabo Rodolfo José da Silva, 38, com oito anos de serviço à PMPE.

Outras duas pessoas ficaram feridas na troca de tiros: uma mulher grávida e um adolescente. O UOL buscou a Secretaria de Saúde de Pernambuco para obter mais informações sobre o quadro clínico das vítimas feridas e aguarda retorno sobre o assunto.

Luto de três dias foi decretado pela Polícia Militar e o caso é investigado como duplo homicídio, informou a PMPE.

Eduardo Roque deixou uma esposa e duas filhas; Rodolfo José deixou uma esposa e uma filha.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes