Conteúdo publicado há 5 meses

Fim da greve: metrô e trens voltam amanhã; veja situação agora

O Sindicato dos Metroviários decidiu encerrar a greve iniciada às 0h01 de hoje. Amanhã, os serviços voltarão à normalidade.

Enquanto isso, estações das quatro linhas operadas pelo Metrô de São Paulo e da maioria das linhas da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) continuam fechadas.

Além dos transportes, a greve também abarcou a Sabesp contra o plano de privatizações do governo de São Paulo.

Quais linha do metrô e da CPTM não funcionam

A greve afetou o funcionamento das linhas 1-azul; 2-verde; 3-vermelha e 15-prata do metrô, assim como as linhas 10-turquesa; 12-safira e 13-jade da CPTM.

Seguranças bloqueiam catraca da estação Itaquera do Metrô de SP em 3 de outubro
Seguranças bloqueiam catraca da estação Itaquera do Metrô de SP em 3 de outubro Imagem: EDI SOUSA/ESTADÃO CONTEÚDO

Quais linha do metrô e da CPTM estão funcionando

As linhas 4-amarela; 5-lilás, de metrô, e a 8-diamante, de trem, funcionam normalmente. As informações são da ViaQuatro e da ViaMobilidade, que operam a linhas privadas.

A linha 9-esmeralda apresentou uma falha elétrica às 14h25 e opera em via única entre as estações Morumbi e Villa Lobos-Jaguaré. A ViaMobilidade informou que ônibus operam entre as estações Morumbi e Pinheiros para transportar os passageiros. O governo de São Paulo disse que irá instaurar um processo administrativo para apurar a falha.

Continua após a publicidade

As linhas 7-rubi e 11-coral, da CPTM, apresentam operação parcial da Luz até Caieiras e da Luz até Guaianases, respectivamente.

Algumas transferências estão funcionando no início da noite: na estação Barra Funda, entre a linha 7-rubi com as linhas 8-diamante e 11-coral, e na Estação Luz, entre a 7-rubi com a linha 4-amarela.

As transferências com a linha 3-vermelha, na Barra Funda, e com a linha 1-azul, na Luz, continuam fechadas. Ambas apresentam grande fluxo de pessoas no horário de pico.

Passageiros embarcam na linha 4-amarela, administrada pela iniciativa privada em 3 de outubro
Passageiros embarcam na linha 4-amarela, administrada pela iniciativa privada em 3 de outubro Imagem: SUAMY BEYDOUN/ESTADÃO CONTEÚDO

Ônibus funcionam e rodízio está liberado

Os ônibus da capital funcionam normalmente com 100% da operação, informou a SPTrans.

Continua após a publicidade
Movimento nas paradas de ônibus em frente a Estação da Luz em dia de greve do Metrô
Movimento nas paradas de ônibus em frente a Estação da Luz em dia de greve do Metrô Imagem: SUAMY BEYDOUN/ESTADÃO CONTEÚDO

O rodízio para carros está suspenso também durante todo o dia. Já para veículos pesados, como caminhões, a restrição continua.

O Poupatempo funcionou normalmente. Nenhum serviço foi afetado, segundo o governo.

Escolas afetadas. As aulas na rede estadual foram suspensas e as provas remarcadas. Já na municipal, o funcionamento foi normal.

Pode faltar água?

O sindicato da categoria afirma que não haverá corte no fornecimento de água, em decorrência da greve também na Sabesp.

Continua após a publicidade

O serviço de atendimento, entretanto, deve levar mais tempo para ser feito. Casos emergenciais, como em hospitais, terão prioridade.

Reivindicações

As categorias protestam contra o plano de privatizações de linhas metroferroviárias e da estatal de saneamento, uma das principais promessas de campanha do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Passageiros encontram portões fechados na estação Itaquera durante greve do Metrô e CPTM
Passageiros encontram portões fechados na estação Itaquera durante greve do Metrô e CPTM Imagem: EDI SOUSA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Justiça determinou 100% de operação do metrô e da CPTM em horários de pico. O sindicato dos metroviários, por sua vez, prometeu recorrer da decisão por considerá-la um "ataque ao direito constitucional de greve".

Em entrevista ao UOL News, o vice-presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo Narciso Soares defendeu a realização de um plebiscito sobre a privatização do Metrô, da CPTM e da Sabesp.

Continua após a publicidade

Tarcísio critica greve e defende privatizações

Em entrevista, Tarcísio disse que a greve reforça a decisão do governo de estudar a privatização das linhas do Metrô e CPTM.

Quais as linhas disponíveis hoje? As linhas 4, 5, 8 e 9, operadas pela iniciativa privada (...) Isso reforça a convicção de que estamos indo na direção certa.
Tarcísio de Freitas

Ao dizer que está "na direção certa", Tarcísio lembrou que a privatização dos serviços foi tratada na eleição do ano passado. Ele chamou a paralisação de "pauta corporativa" dos funcionários do transporte público de SP e afirmou que o governo continuará os estudos sobre a concessão das linhas.

Nunes critica grevistas e faz ironia

O prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) ironizou a greve do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) ao falar que as linhas privatizadas estavam funcionando normalmente na capital paulista.

Continua após a publicidade

Engraçado que fazem greve contra a privatização, mas aquilo que está privatizado, concessionado, está operando, não está prejudicando o trabalhador e aquelas [linhas] que são diretas, que estão sob poder dos sindicatos, estão em greve, causando esse transtorno aos trabalhadores.
Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo

Sindicato critica postura de Tarcísio

O sindicato alegou que o governador fala "sérias mentiras" sobre a qualidade das linhas 8 e 9 da CPTM, que são privatizadas

Ele demonstrou total desconhecimento sobre as pessoas que pegam essa linha todos os dias e sofrem com descarrilamentos, com velocidade reduzida, com trem andando com portas abertas e com falhas cotidianas.
Camila Lisboa, presidente do Sindicato dos Metroviários.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes