Santa Casa de SP reaplicará provas de residência após denúncia de fraudes

A Santa Casa de Misericórdia de São Paulo anunciou que irá reaplicar a prova de residência médica para oito áreas após candidatos denunciarem possíveis fraudes na aplicação do exame.

O que aconteceu:

A Coreme (Comissão de Residência Médica) da Santa Casa disse ter constatado erros de aplicação em uma sala e erros de impressão em um tipo de prova na seleção das especialidades. O exame foi aplicado no sábado (9) e candidatos apontaram ao UOL que um dos envelopes chegou violado e com 20 provas a menos do que o esperado.

Oito áreas terão o cancelamento das provas e reaplicação do exame: Pediatria (acesso direto); Endocrinologia e Metabologia; Gastroenterologia; Geriatria; Hematologia e Hemoterapia; Oncologia Clínica; Pneumologia; e Reumatologia.

Ainda não há data para a reaplicação das provas de residência médica. Os outros cursos "seguirão com o cronograma já estabelecido" em edital.

A instituição disse lamentar o episódio, afirmando que iniciou "imediatamente as apurações em relação aos problemas apontados" e esclareceu que todas as providências estão sendo tomadas em conjunto com o Instituto Mais de Gestão e Desenvolvimento Social, que é a empresa contratada para aplicação da prova, para não ocorrer prejuízos aos candidatos.

O concurso oferecia 191 vagas para 21 áreas diferentes na prova de "acesso direto" — para médicos recém-formados. E outras 60 vagas para 29 especialidades, na modalidade "pré-requisito" — para médicos que já fizeram alguma residência antes.

Empresa aplicadora detalha falhas

Houve falha na entrega do pacote de provas na Universidade Anhembi Morumbi, sala 72, na área de residência em "Pediatria - Acesso direto" no sábado (9), informou o Instituto Mais de Gestão e Desenvolvimento Social, em nota obtida pelo UOL. O instituto, responsável por aplicar a prova, disse apurar o caso internamente.

Continua após a publicidade

O instituto também apontou que foi constatado, após a aplicação das provas, que houve falha de impressão nos cadernos de questões das áreas de residência com Pré-requisito Endocrinologia e Metabologia; Gastroenterologia; Geriatria; Hematologia e Hemoterapia; Oncologia Clínica; Pneumologia; e Reumatologia.

A empresa disse que o cancelamento e a reaplicação das provas seria a decisão "mais eficiente e equilibrada, em homenagem à transparência e à isonomia aplicadas a todo e qualquer certame por nós realizados, bem como para que não haja prejuízo aos candidatos envolvidos, diante dos ocorridos descritos".

Por fim, o Instituto lamenta os fatos ocorridos e salienta que todos os procedimentos adotados visaram a atingir os melhores padrões de desempenho na prestação de serviços a que se destinavam.
Instituto Mais de Gestão e Desenvolvimento Social

Polícia investiga o caso

Ao UOL, a Polícia Civil informou que a denúncia de fraude é investigada pela corporação. Três candidatos informaram às autoridades que, na sala onde aplicaram o exame, as provas foram "distribuídas em um pacote já aberto e que faltavam cerca de 20 exemplares".

Os responsáveis pela aplicação disseram aos candidatos que o pacote foi aberto em outra sala, de forma equivocada, mas que os cadernos eram iguais. Os candidatos não aceitaram a explicação, que não segue o edital da prova, e acionaram a polícia.

Continua após a publicidade

O caso foi registrado como fraude em concurso de interesse público no 8º DP (Brás), sendo o responsável pela área dos fatos o 12º DP (Pari).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes