Conteúdo publicado há 3 meses

Polícia ouve suspeitos de ligação com morte de sobrinho-neto de Marina

A Polícia Civil do Acre ouviu dois suspeitos de terem envolvimento com o assassinato do sobrinho-neto da ministra Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima).

O que aconteceu

Homens suspeitos foram ouvidos ontem (7). A Polícia Civil explicou que eles não foram presos, apenas prestaram depoimento.

Investigação continua. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, responsável pelo caso, continua em diligências.

A Polícia Civil não repassou informações sobre o teor dos depoimentos, nem sobre qual seria o envolvimento dos suspeitos no crime. Os nomes dos homens também não foram divulgados, desta forma, a reportagem não conseguiu localizar as defesas para pedido de posicionamento. O espaço segue aberto para manifestação.

O crime

Sobrinho-neto da ministra foi morto na tarde de terça-feira (6), em Rio Branco (AC). Cauã Nascimento Silva tinha 19 anos. A informação foi dada pela própria ministra em postagem na rede social X (antigo Twitter).

Vítima estava em casa, no bairro Taquari, quando o crime ocorreu. Dois criminosos invadiram o local e efetuaram vários disparos contra o jovem.

Após o ataque, os assassinos fugiram de moto. A informação foi repassada pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, que investiga o caso.

"Cauã foi vítima da criminalidade que destrói vidas, principalmente, de jovens de bairros da periferia do nosso país. Que Deus sustente e console nossa família", escreveu a ministra. Marina se recupera após testar positivo para covid-19 pela terceira vez.

Continua após a publicidade