Brasileiro morre e esposa fica ferida após acidente de moto no Peru

O empresário catarinense Álvaro Schwegler morreu após se envolver em um acidente de moto no Peru na segunda-feira (1º). A esposa dele, Jane Schwegler, ficou ferida.

O que aconteceu

Acidente ocorreu na fronteira do Peru com o Brasil. Ao UOL, a filha mais velha do casal, Fabiane Schwegler, contou que Álvaro teve que parar duas vezes para trocar o pneu da moto que pilotava, a cerca de 30 km da fronteira com o Peru.

Causa do acidente ainda é incerta. Fabiane afirmou que os pais perderam o controle do veículo, bateram em um guarda-corpo e, depois, em um poste.

Casal foi atendido em hospital no Brasil. Inicialmente, o casal foi levado a um hospital em Assis Brasil (AC), cidade brasileira que faz fronteira com o Peru. Enquanto Jane ficou em observação na cidade, Álvaro teve de ser levado a um hospital de Rio Branco, onde morreu.

Esposa se recupera e está lúcida. Jane Schwegler "está lúcida, mas com dor nas costas, nas pernas, inchaço, hematomas, pontos no rosto, escoriações, coisas típicas de acidente", segundo a filha. Ela teve alta hoje.

Família contratou avião para traslado do corpo. Uma aeronave que traz Jane, amigos que faziam a viagem com o casal e o corpo de Álvaro deve chegar ainda nesta terça-feira (2) em Porto União (SC), onde a família vive. O velório deve ocorrer na quarta-feira (3), a partir das 8h.

Caravana saiu do Brasil na última terça-feira (27). Esta seria a segunda grande viagem de Álvaro de motocicleta.

Federação de indústrias lamenta morte

Fiesc publicou nota para "enaltecer legado". No texto, a Federação das Indústrias de Santa Catarina escreveu que "Álvaro Schwegler foi um exemplo de trabalho e perseverança". Leia a nota na íntegra:

Continua após a publicidade

Álvaro Schwegler foi um exemplo de trabalho e perseverança, contribuindo ativamente para que o Grupo Schwegler gerasse empregos, desenvolvimento e conquistasse mercados internacionais, com presença em 12 países. Como a grande maioria dos industriais catarinenses, Álvaro também dedicou parte de seu tempo às atividades comunitárias e às entidades de classe
Mario Cezar de Aguiar, presidente da Fiesc

Deixe seu comentário

Só para assinantes