Conteúdo publicado há 3 meses

Passageiro da Porsche permanece na UTI e fará cirurgia nesta segunda

Marcus Vinicius Machado Rocha, passageiro que estava na Porsche no momento da colisão com um Sandero na semana passada, permanece internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e passará por uma cirurgia ainda hoje.

O que aconteceu

O jovem de 22 anos quebrou quatro costelas e precisou retirar o baço. O estado de saúde dele é considerado "delicado", segundo informação divulgada por seu advogado de defesa, José Roberto Soares Lourenço, em contato com UOL.

Marcus Vinicius fará uma cirurgia nesta segunda (8), devido "a um derrame pleural bilateral". O jovem está entubado e internado na UTI do Hospital São Luiz Anália Franco. O UOL procurou a unidade de saúde, que disse não ter autorização para passar informações sobre o estado de saúde do paciente.

Sobre a situação atual de Marcus, comunicam que ele continua internado na Unidade de Terapia Intensiva e fará uma cirurgia devido a um derrame pleural bilateral com permanência de dreno em ambos os lados, complicações causadas pelo trauma. Seu estado de saúde é delicado. José Roberto Soares Lourenço, advogado de Marcus Vinicius, ao UOL

O estudante estava no banco de carona da Porsche, quando Fernando Sastre bateu na traseira do carro do motorista de aplicativo. O motorista do Sandero, Arnaldo da Silva Vianna, de 52 anos, morreu no local. A polícia ainda espera ouvi-lo após a liberação do hospital.

Entenda o caso

Acidente aconteceu na madrugada de domingo (31), na avenida Salim Farah Maluf. Testemunhas contaram à polícia que Fernando fez uma ultrapassagem em alta velocidade — o limite de velocidade na via é de 50 km/h — perdeu o controle e colidiu com traseira de um Sandero.

Fernando Sastre foi liberado da delegacia na noite de segunda-feira (1º) após prestar depoimento. Ele se apresentou à polícia 38 horas após ter deixado o local do acidente. "Ele falou só o básico para não se culpar", afirmou o delegado Nelson Vinicius Alves, acrescentando que Fernando estava frio e tranquilo durante o depoimento.

O condutor do Porsche foi indiciado por homicídio doloso - quando há intenção ou se assume o risco de matar. Ele também deve responder por fuga do local do acidente e lesão corporal, em razão dos ferimentos sofridos pelo passageiro que estava com ele. Inicialmente, o caso havia sido registrado como homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

Continua após a publicidade

A Justiça de São Paulo negou o pedido de prisão temporária de Fernando, feito pela Polícia Civil. A prisão temporária tem duração de 5 a 30 dias, com possibilidade de prorrogação pelo mesmo período.

Defesa de Fernando diz ser "prematuro" julgar as causas do acidente. Em nota, os advogados Carine Acardo Garcia e Merhy Daychoum defendem que suposições não devem ser realizadas, já que os laudos periciais não foram concluídos, e afirmam que o homem não fugiu do local do acidente.

Deixe seu comentário

Só para assinantes