Conteúdo publicado há 1 mês

Advogado deixa defesa do bicheiro Rogério Andrade

O advogado André Callegari deixou a defesa do bicheiro Rogério Andrade.

O que aconteceu

Callegari citou "motivos éticos e "divergências estratégicas" em comunicado ao STF. Ele confirmou o conteúdo da notificação ao UOL.

O ministro Nunes Marques foi informado no dia 20 de abril. Dois dias antes, ele suspendeu as medidas cautelares contra Rogério, como o uso da tornozeleira eletrônica e o recolhimento noturno, a pedido da defesa do bicheiro.

Rogério Andrade usou a tornozeleira eletrônica por um ano e quatro meses. Ele foi preso em 2022 após uma operação do MP que investigou a exploração de jogos de azar no Rio e o pagamento de propina a policiais. Em dezembro, um ministro do STJ determinou a soltura de Andrade, mas estabeleceu o uso de tornozeleira eletrônica.

Quem é Rogério Andrade

Rogério é acusado de chefiar uma organização criminosa que domina o jogo do bicho, máquinas de caça-níqueis, bingos e cassinos em bairros da zona oeste do Rio. O bicheiro também é patrono da escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel.

Ele assumiu os negócios da família em 1997 após a morte do tio, Castor de Andrade. A princípio, a posição seria ocupada pelo filho de Castor, Paulo Roberto de Andrade, mas ele foi assassinado um ano após a morte do pai. Rogério chegou a ser condenado como mandante da morte do primo, mas depois foi absolvido.

Com a morte de Castor, os contraventores passaram a travar uma sangrenta disputa pelo controle do jogo do bicho. Segundo investigações da Polícia Federal, mais de 50 assassinatos até 2007 são atribuídos à guerra da contravenção.

Deixe seu comentário

Só para assinantes