Conteúdo publicado há 1 mês

Confusão em UPA no DF acaba com feridos e equipamentos destruídos; vídeo

Uma confusão generalizada em uma Unidade de Pronto Atendimento de Recanto das Emas (DF) terminou servidores e pacientes feridos e equipamentos destruídos.

O que aconteceu

Briga foi causada por demora em atendimento. A UPA de Recanto das Emas estaria sobrecarregada, mas "não negou atendimento a ninguém", segundo o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal.

Vídeo mostra vigilante batendo em pai com criança no colo. Gravação mostra a confusão generalizada, que envolveu gritaria e destruição de equipamentos da UPA.

Mãe da criança disse que filho estava com febre alta há três dias. Além disso, afirmou que ele é autista, e que esperavam há uma hora e meia apenas para fazer a triagem. A declaração foi dada à TV Globo.

Vigilante afirma que levou "pedrada". Armando Luís contou que um terceiro homem que estava no local o agrediu com uma pedra, e que usou o cassetete apenas para se defender. "Não acertei, não dei 'cassetetada' em ninguém", afirmou.

Iges-DF "lamenta profundamente" o caso. Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF, que administra a UPA, afirmou também que a unidade já opera normalmente e que os prejuízos ainda estão sendo calculados. Leia a nota:

Durante o período, a unidade em questão encontrava-se funcionando com 3 pediatras e 5 médicos clínicos. Devido ao fechamento da tenda de dengue no Recanto das Emas, a UPA absorveu toda a demanda e, apesar de estar operando muito acima de sua capacidade, não foi negado atendimento a ninguém. Estamos acompanhando e investigando atentamente o ocorrido, comprometendo-nos a colaborar integralmente com as autoridades competentes. Temos monitorado cuidadosamente os casos de agressões enfrentados pelos nossos profissionais de saúde. Todas as nossas unidades trabalham com equipe de segurança para garantir a proteção tanto das instalações quanto dos funcionários.
Iges-DF, em nota sobre a confusão na UPA

Deixe seu comentário

Só para assinantes