Conteúdo publicado há 2 meses

Vídeo: Pastor que disse beijar filha já afirmou ter beijado a boca do filho

O pastor Lucinho Barreto, de Belo Horizonte (MG), que disse ter beijado a filha na boca quando ela era menor de idade, voltou a ser alvo de discussão nas redes sociais após um vídeo gravado há 11 anos ter sido resgatado. Nas imagens, ele aparece afirmando que beija a boca do filho de 8 anos.

O que aconteceu

Na gravação, o pastor da Igreja Batista da Lagoinha diz que beija a boca da criança para ser gay junto com ela: "Você é gay? Então vai ser gay sabe com quem? Comigo. Nós dois somos homens, vou beijar sua boca".

Lucinho afirma que o filho não foi posto no mundo "para ser cobaia do capeta". "Eu e meu filhinho David, de 8 anos, a gente beija na boca até hoje. Esse menino vai querer beijar na boca de quem, se ele já beijou?", acrescentou.

Segundo a página Fuxico Gospel, que divulgou o vídeo, a fala foi feita em uma pregação em 2013.

O UOL tenta contato com o pastor e com a igreja sobre a fala. Se houver resposta, o texto será atualizado.

Beijo na filha

O pastor Lucinho Barreto virou notícia na semana passada ao aparecer em um vídeo afirmando que beijou a boca da filha quando ela era menor de idade.

"Nossa que mulherão, ai se eu te pego", teria dito pastor à filha. "Quando eu encontrar seu namorado, eu vou falar assim: você é o segundo, eu já beijei". A fala do pastor foi recepcionada com risadas e aplausos pela plateia.

Continua após a publicidade

Filha de pastor diz que retiraram fala de contexto. Ela diz que "seu pai nunca fez nada com ela", que "sempre foi um exemplo de uma figura paterna maravilhosa" e que considera perfis que viram pedofilia nos casos como "maldosos".

O pastor publicou um vídeo em que pede desculpa a quem se sentiu ofendido, mas diz que a fala foi descontextualizada. "Estava falando para eles [homens presentes] da necessidade de levantar a autoestima dos filhos. [...] O que quis dizer é que dei um beijo inocente, puro na minha filha, com intuito de levantar a autoestima dela. Não foi nada além disso, eu odeio tudo que tem a ver com pedofilia, abuso infantil. Acho que criança não namora".

A Polícia Civil investiga a fala do pastor Lucinho sobre ter beijado filha na boca quando ela era menor de idade.

Deixe seu comentário

Só para assinantes