Conteúdo publicado há 29 dias

Até clientes furtam loja no RS, diz empresária: 'Prejuízo de R$ 2 milhões'

A comerciante gaúcha Marinez Silva disse em um vídeo em rede social que até clientes furtaram suas lojas depois das enchentes que deixaram o Rio Grande do Sul debaixo d'água.

O que aconteceu

As águas invadiram as quatro lojas de Marinez. Ela vive e trabalha em Arroio do Meio, às margens do rio Taquari, que transbordou. Ela diz, porém, que o prejuízo também foi causado por crimes. O estabelecimento vendia alimentos e utensílios domésticos.

Ela calcula prejuízo de R$ 2 milhões em furtos apenas em uma das lojas. "São 20 mil itens levados, é uma loja de 7 mil metros quadrados. Dá para ter uma dimensão do quão grande é e do tanto de coisa que tinha. São 17 anos deixando de aproveitar, viajar, sempre pensando na loja", disse.

Não deixaram nada, pelo menos 400 pessoas passaram pegando coisas. Muitos que roubaram são clientes, rostos conhecidos. São pessoas que frequentavam a loja.
Marinez Silva, empresáriaEla reclama das autoridades locais. "Não tem ninguém para ajudar, para orientar, para resolver. Estamos perdidos. Os boletos chegam, temos funcionários para pagar. Quando eu chego lá e me deparo com a loja toda vazia, é a mesma sensação de quando se perde alguém", disse.

O governo gaúcho diz ter 27,7 mil policiais e bombeiros espalhados pelo Rio Grande do Sul. A polícia chama os criminosos de "oportunistas de enchentes".

Até agora, 112 pessoas foram presas no estado: 43 por furto e o restante por saques, posse ilegal de armas e tráfico de drogas.

Deixe seu comentário

Só para assinantes