Conteúdo publicado há 19 dias

Voluntária relata sofrimento dos animais e cenas impactantes no RS

A rotina de resgatar animais no Rio Grande do Sul continua intensa. A ativista da causa animal Luisa Sigaran relatou o sofrimento dos bichos em todo o estado.

O que aconteceu

Luisa Sigaran se uniu a outros voluntários após a tragédia climática no Rio Grande do Sul. Segundo a ativista, devido à demora, muitos animais ficaram debilitados por frio e a falta de alimentação.

"No início, a demanda estava voltada quase exclusivamente aos humanos. E foram várias as situações onde as pessoas não levaram os pets, seja por abandono mesmo, por serem impedidas de colocá-los nos barcos ou por não conseguirem retornar depois às casas e buscar", disse Sigaran, em entrevista ao "Globo Rural".

Sigaran relatou que o resgate mais complicado foi de um cavalo. Ele esteve amarrado em cima de um caminhão por 10 dias, no município de Eldorado do Sul. O animal foi encontrado tremendo e comendo plástico.

"Não sabemos como ele chegou nessa situação. Provavelmente, o tutor colocou ali em uma tentativa de dar alguma chance, mas ele ficou ilhado. Aquele local se transformou em uma região de correnteza, e tivemos que organizar uma estratégia para resgatá-lo, o que aconteceu só no dia seguinte", contou.

O resgate do animal aconteceu em 10 de maio com a ajuda de outros voluntários. Na sequência, o animal foi encaminhado para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porém, o equino não resistiu e morreu horas depois: 'Sofreu demais'.

Segundo ela, os resgastes estão sendo feitos em ordem de prioridades, com os cães e gatos sendo os primeiros da lista, e na sequência os animais de grande porte. A ativista contou que um preparo maior poderia ter modificado o cenário.

"Tivemos muitas situações de falecimento. A cada dia que passava, nos deparamos com cenas assim. Um dia, resgatei um cachorro ilhado em cima de um cavalo morto, uma cena impactante e chocante de sofrimento animal. Acho que a causa animal ficou bem abandonada. Se tivesse um preparo público, o cenário teria sido outro", completou Luisa.

Após mais de 20 dias de trabalho, a ativista afirmou que já perdeu as contas de quantos animais resgatou no período. A lista vai de suínos a aves.

Continua após a publicidade

Cidades receberão recursos

O governo federal anunciou, na última terça-feira (21), medida que garante recursos financeiros a abrigos de municípios do Rio Grande do Sul. O plano é garantir alimentos necessários para atendimento de animais resgatados.

Mais de 12 mil animais foram resgatados durante as inundações, em números divulgados pelo governo estadual.

Deixe seu comentário

Só para assinantes