Conteúdo publicado há 16 dias

Grupo propôs 'vaquinha' para matar presidente do Detran-GO, diz polícia

A Polícia Civil de Goiás deflagrou operação, nesta segunda-feira (27), contra empresários de Goiânia que, supostamente, teriam proposto uma "vaquinha" para arrecadar dinheiro com o intuito de assassinar o presidente do Detran do estado, o delegado aposentado Waldir Soares.

O que aconteceu

Polícia cumpriu mandados de busca e apreensão na loja e na casa de um empresário que tem um comércio de autopeças para veículos na Vila Canaã. De acordo com a investigação, o comerciante, que não teve o nome divulgado, seria o mentor por trás do plano para assassinar Soares. O suspeito teria proposta a realização da vaquinha durante uma roda de conversa com outros comerciantes da região.

Comerciantes estariam "revoltados" com operações policiais do Detran-GO na região da Vila Canaã. Conforme a investigação, essas operações geraram insatisfações nos empresários, que viram o valor de suas lojas despencarem — estabelecimentos que antes valiam R$ 600 mil, agora estariam valendo R$ 200 mil. O Detran-GO tem feito operações em lojas de autopeças suspeitas de comercializarem itens de veículos roubados de outros estados.

Vaquinha seria para contratar um atirador de aluguel para matar Waldir. A polícia agiu após receber uma denúncia anônima. "Como percebemos que a articulação já estava prestes a ser concluída, solicitamos, em caráter de emergência, o pedido de mandados de busca e apreensão, que foram decretados pela Justiça, e cumpridos na manhã de hoje [segunda-feira (27)]", declarou o delgado titular da Deic, Murillo Leal.

Itens apreendidos. Nos endereços ligados ao comerciante investigado, a polícia apreendeu celulares e computadores que serão periciados para encontrar evidências da suposta artimanha para matar Soares. Se ficar comprovado, ele será indiciado pelo crime de ameaça, com pena prevista de seis meses de reclusão.

Waldir Soares disse ter tomado conhecimento das ameaças após a operação. Em nota, ele afirmou que o Detran-GO seguirá com com as operações para impedir que "peças de veículos roubados em outros estado sejam comercializadas" em Goiás. "E mais: estamos com uma equipe em São Paulo, e muito em breve faremos uma nova ação na região da Vila Canaã, para identificar e punir quem insiste em trabalhar de forma errada", reiterou.

Deixe seu comentário

Só para assinantes