Conteúdo publicado há 22 dias

Prefeito diz que enchentes no RS acontecem porque estado tem poucas igrejas

O prefeito de Balneário Barra do Sul (SC), Valdemar Barauna (PP), disse, em uma entrevista a uma rádio, que o Rio Grande do Sul é atingido por enchentes porque o estado supostamente tem poucas igrejas.

O que aconteceu

Barauna afirmou que o RS é um lugar de "centro". "É o estado que tem menos igreja, e lá é centro de...que não agrada aos olhos de Deus". O prefeito diz que a afirmação sobre o número de igrejas e centros é baseada em "uma estatística aí".

No vídeo, que circula nas redes desde a semana passada, o prefeito ainda fala do desfile da Gaviões da Fiel de 2019. Na época, a escola de samba exibiu uma coreografia na qual um ator representando Jesus Cristo foi arrastado, empurrado e pisoteado por um outro caracterizado como o diabo.

Valdemar Barauna diz na entrevista que desastres, como o que acontece no RS, devem servir de reflexão. "Se você analisar, depois daquele Carnaval que pegaram Jesus, qual é a situação do nosso Brasil hoje? É pra 'nós refletir'. Será que Deus não está 'chamando eles' a uma responsabilidade? Lá na frente nós vamos entender por que isso aconteceu".

O UOL tenta contato com o prefeito sobre a declaração. Se houver resposta, o texto será atualizado.

Denúncias no MP

O prefeito de Balneário Barra do Sul não é o primeiro a associar o desastre no RS à religião. O Ministério Público Federal do Mato Grosso do Sul apura a declaração de um padre que relacionou as enchentes à falta de fé, declarando que o estado "abraçou a bruxaria e o satanismo".

Padre afirmou que o sofrimento "não vem de Deus" e que o sentimento é inerente à existência humana. Ele continuou declarando que a situação era muito difícil no estado e que amigos e sacerdotes perderam tudo em razão da tragédia. A transmissão ao vivo da missa com a fala começou a repercutir nas redes sociais.

Continua após a publicidade

Já o Ministério Público de Minas Gerais denunciou a influenciadora Michele Dias Abreu por intolerância religiosa. Ela associou a tragédia no RS a religiões de matriz africana.

A declaração foi publicada em um vídeo no dia 5 de maio. "O estado do Rio Grande do Sul é um dos estados com maior número de terreiros de macumba. Alguns profetas já estavam anunciando sobre algo que ia acontecer no Rio Grande do Sul, devido à ira de Deus".

Deixe seu comentário

Só para assinantes