Conteúdo publicado há 20 dias

Granada usada pelo Exército britânico é encontrada em rio no Recife

Um homem encontrou uma granada enquanto "pescava" com um ímã no Rio Capibaribe, no Recife, na última segunda-feira (27). A Polícia Militar confirmou nesta quarta-feira (29) que o artefato é de um tipo usado pelo Exército britânico.

O que aconteceu

A granada é do tipo Mills. O explosivo é tipicamente usado pelo Exército britânico desde a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) até os dias atuais, de acordo com o Esquadrão Antibombas. O modelo criado por William Mills foi dos pioneiros entre as granadas de mão de fragmentação.

A peça estava em estado de conservação precário. A equipe do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) identificou o artefato por meio de imagens de raio-x, utilização de entrada manual e busca em catálogos internacionais de explosivos.

O explosivo foi encontrado em uma sacola plástica. A granada estava dentro de duas sacolas pretas amarradas. O artefato estava envolvido por camadas de papel alumínio - algumas delas teriam se fundido ao metal da granada, segundo o homem que faria a "pescaria". Ele gravou um vídeo desembalando o objeto e disse que desconfiava se tratar de "alguma coisa militar".

A granada foi recolhida na manhã de terça-feira (28). O Esquadrão Antibombas interditou a Ponte da Capunga, no bairro Graças, e retirou o objeto. Um técnico explosivista utilizou um braço robótico para colocar o artefato em um equipamento contenedor.

Objeto será destruído. Devido ao estado da bomba, não é possível garantir segurança no armazenamento e manuseio da granada. O artefato será destruída pelos técnicos explosivistas do Bope.

Não é a primeira vez que o modelo é encontrado no Brasil. Outras granadas do tipo Mills foram encontradas em Uberaba (MG), em 2010, e em Sarandi (PR), em 2023, de acordo com a Polícia Militar.

Deixe seu comentário

Só para assinantes