Conteúdo publicado há 28 dias

Pastor diz que mulher deve fazer sexo mesmo sem ter vontade: 'Deus mandou'

O apóstolo Adelino de Carvalho, da Igreja Reino dos Céus, em Minas Gerais, disse durante pregação que a mulher "deve dar para o marido" mesmo que esteja sem vontade de fazer sexo porque, caso ele busque outra mulher fora do casamento, a "culpa" é dela.

O que aconteceu

Carvalho afirma que sua igreja tem foco na família e que, para quem tem a mente "podre", o sexo é visto como "putaria, podridão", mas que se trata de um ato "criado por Deus para o casamento". "Esse ato de um dar o corpo para o outro é sagrado. No casamento, só o homem sacrifica ou a mulher tem que sacrificar também? Os dois. Igreja que prega contra o sacrifício é [igreja] de miserável, avarento, endemoniado", iniciou o religioso, em vídeo publicado no canal do YouTube da igreja no dia 5 de junho.

Apóstolo alega que a mulher que cria desculpas para não transar com o marido é uma "infeliz" e "pecadora". "Aquela mulher que o marido faz tudo por ela, chega à noite ele quer um carinho, a infeliz fala que está com dor de cabeça e não está... A senhora está pecando, irmã. Se o seu marido é um homem bom para a senhora, a noite a senhora tem que dar para ele. E não fica com vergonha, que foi Deus quem mandou a senhora dar para o seu marido. Preciso ser mais explícito?".

A senhora tem que dar para o seu marido até sobrando para que ele não procure uma vagabunda na rua e o pecado seja da senhora. Se ele procura na rua é porque caiu no lastro do diabo e se tornou sem vergonha é porque a senhora [a esposa] o induziu ao erro.
Apóstolo Adelino de Carvalho da Igreja Reino dos Céus

Religioso afirmou que se a mulher não gosta de sexo, ela não deve casar, porque a Bíblia manda a mulher transar "para agradar o marido", não necessariamente porque ela tem vontade. "'Ah, apóstolo, mas eu não gosto de sexo'. Não devia ter casado. E olha que a Bíblia diz que o sexo a mulher faz para agradar o marido, porque na maioria das vezes ela não tem vontade".

Adelino também aconselhou as fiéis de sua igreja a não elogiarem os maridos em público para que outras mulheres "não cresçam o olho" sobre seus companheiros. "Aí você vai lá naquele maldito salão de beleza, que reúne pessoas mentirosas. Tem mulher que é burra e fala 'meu marido é maravilhoso'. Aí as mulheres crescem o olho e vão tudo dar em cima do marido dela. Homem é mais esperto, chega no boteco e desfaz da esposa para ninguém crescer o olho em cima da mulher do cara. A mulher não entende a estratégia do homem".

Para Cris Fibe, colunista de Universa, "incentivar que a mulher faça sexo sem vontade é incentivar a cultura do estupro". Segundo ela, discursos desse tipo fazem o homem acreditar ser possuidor do corpo da mulher, ou seja, que pode fazer com ela o que quiser, sem o seu consentimento. "Que pode estuprar, que pode matar", destacou.

"É um desserviço verdadeiramente criminoso", avalia a colunista. Esse pastor nos desenha a razão pela qual os índices de violência sexual e feminicídio são tão altos no Brasil. Ele verbaliza o que muitos homens -- violentos -- pensam. É um desserviço verdadeiramente criminoso.

A mulher não tem a obrigação de "dar" o próprio corpo contra a sua vontade para ninguém, nunca. Nem para o próprio marido. Isso tem nome: estupro marital. Infelizmente, muitas mulheres vítimas desse crime têm vergonha de falar sobre isso e denunciar. Está na hora de os homens terem vergonha de defender publicamente um crime"
Cris Fibe, colunista de Universa

O UOL entrou em contato com o apóstolo Adelino de Carvalho para pedir um posicionamento, mas não obteve retorno. Se houver resposta, o texto será atualizado.

Deixe seu comentário

Só para assinantes