PUBLICIDADE
Topo

Bruno Covas nega interesse eleitoral ao determinar reabertura de escolas

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), atualiza informações sobre a situação do coronavírus em São Paulo - Newton Menezes/Futura Press/Estadão Conteúdo
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), atualiza informações sobre a situação do coronavírus em São Paulo Imagem: Newton Menezes/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

18/09/2020 14h28

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), negou hoje que a determinação para a reabertura de escolas públicas e particulares na cidade seja movida por interesse eleitoral.

"Eu continuo tranquilo em relação às decisões que nós tomamos. São decisões baseadas no que recomenda a Vigilância Sanitária, a área da saúde. Eu sou prefeito da cidade, não sou prefeito do sindicato das escolas particulares", disse Covas durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Covas ainda fez uma crítica sutil aos diretores de escolas da rede particular: "Seria pequeno da minha parte dizer que as escolas particulares estão pensando somente no próprio bolso, e não na educação das nossas crianças".

Na tarde de hoje, o governador João Doria (PSDB), que também estava na entrevista coletiva, anunciou que, na rede estadual, as aulas para estudantes do ensino médio e de EJA (Educação de Jovens e Adultos) voltarão no dia 7 de outubro.

Enquanto isso, as aulas para o ensino fundamental na rede estadual voltam em 3 de novembro. Ele destacou que será necessário uma autorização das prefeituras para que as escolas reabram.