PUBLICIDADE
Topo

Disputa na Câmara em SP tem Vereador Piriquito, Ganja Coletiva e Abençoado

O candidato a vereador Abençoado da Bahia (esq.) posa com eleitor - Reprodução/Facebook
O candidato a vereador Abençoado da Bahia (esq.) posa com eleitor Imagem: Reprodução/Facebook

Carolina Cunha

Colaboração para o UOL, em Brasília

01/10/2020 04h00

A política é coisa séria. Mas nem sempre parece. O nome de urna do candidato, por exemplo, não precisa ser sisudo e muitos escolhem apelidos como marca registrada. Outros usaram Bolsonaro como puxador de votos.

Com base nos registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o UOL selecionou nomes de candidatos a vereadores em São Paulo que chamam a atenção pela excentricidade.

Anderson o Jovem nasceu em 1973 e é candidato pelo Republicanos. Papai Noel Toninho Gusman (PTB) é conhecido como motociclista e Papai Noel do Bem no bairro da Mooca.

Já Berinjela (Avante) viralizou na pandemia de covid-19 com o vídeo sobre aglomeração em um supermercado lotado. Xerife Animal (PSL) deseja promover o equilíbrio da convivência entre homem, animais e meio ambiente.

Também foram registrados Míster Morgan (PV) e Miss Valquiria (PSC), o Festival (PSDB), Vereador Piriquito e Antonio Marcha Lenta (ambos do Solidariedade).

Existem aquelas candidaturas que lembram motes publicitários como Salve Jorge (Solidariedade), Paschoal Guardião da Cidade (PSL), Elvis Esse Eu Conheço (PTB) e Buiu Eu Acredito (Podemos).

Roberto Figueiredo, o Dr. Bactéria - 4.abr.2019 - Reprodução/Facebook/drbacteriaoficial - 4.abr.2019 - Reprodução/Facebook/drbacteriaoficial
Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, vai tentar conquistar uma cadeira de vereador
Imagem: 4.abr.2019 - Reprodução/Facebook/drbacteriaoficial

O Dr. Bactéria (PSD) é o codinome do biomédico Roberto Figueiredo, que aparece em programas de televisão. Ele promete um mandato limpo e focado na saúde.

Da telinha, temos ainda Mateus Esperança PAM PAM (PV), palhaço do antigo programa "Bambalalão", e o Diretor Goiabinha (Progressistas), que dirigiu programas de com famosos como Gugu e Silvio Santos. Seu vídeo publicitário mostra uma foto saindo de uma goiaba e termina com o slogan "Goiaba neles".

Há os nomes que que evocam a mulher poderosa, como Leiliane Mulher Maravilha (PL), que inspirou muita gente por ter salvado a vida do motorista que se chocou com o helicóptero em que estava o jornalista Ricardo Boechat.

Mylene do Poderosas de Batom (Podemos) é a influenciadora Mylene Tubero, que escolheu o nome do seu canal. De olho no voto das seguidoras, ela definiu a data do Dia Internacional da Mulher como número de urna.

Cachorro Caramelo (Patriota) é o nome de urna de um mandato coletivo. O grupo tem um simpático cachorro como símbolo de uma "cãopanha" que pretende lutar pelos direitos dos animais. Com bordão inspirado em Barack Obama, "Yes, we cão!", Cachorro Caramelo instiga o eleitor a ter a chance de escolher entre "um político corrupto ou um dócil cachorrinho" para representar a população.

Outra candidatura coletiva que chama a atenção é a da Ganja Coletiva (PSOL). Com finais 4 e 20 no número eleitoral, o grupo vai levar uma pauta ecossocialista para a cidade e lutar contra a criminalização da maconha. A brincadeira do coletivo com os eleitores é apertar o verde na urna.

Bengala - Reinaldo Canato/UOL - Reinaldo Canato/UOL
Kid Bengala, ator pornô e candidato do PTB
Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Alguns nomes já participaram de eleições anteriores, como o ator pornô Kid Bengala (PTB), famoso por ser superdotado. Seu atual slogan de campanha é "Esse sim é pau para toda obra". Em vídeo divulgado nas redes sociais, promete que a campanha será dura.

Outro veterano é Toninho do Diabo, alegado religioso que se identifica como satanista e filiado ao Solidariedade. Em campanhas anteriores, já usou slogans que deixariam a bancada evangélica de cabelo em pé como "Vote no capeta", "Eu taco fogo" e "Brasil, um país dos infernos".

Um nome mais afortunado é o de Abençoado da Bahia (PSC), que já foi candidato a deputado estadual em 2018. Nascido na Bahia, ele é motorista de ônibus e se apresenta como sindicalista de direita. Evangélico, tem a bênção de ter "Abençoado" como seu sobrenome real.

Cabrabom (Pode), que já foi vereador, é um delegado de polícia na cidade. Ele também é famoso por ser pai da atriz global Débora Nascimento. Seu apelido, que lembra alguém com virtudes e gestos nobres, veio da época em que participava anonimamente de mutirões de construção de casas populares.

Existem também as candidaturas que lembram pessoas famosas, mas que não são realmente elas. Marcelo Taz (PV) não é o jornalista Marcelo Tas, mas o apelido do gerente Esteves.

Paulo Maluf (Pode) não é o ex-governador e ex-prefeito, mas o nome real de um administrador de empresas. E Miro Leitão não é a versão masculina da premiada jornalista de economia, mas o apelido do comerciante Argemiro Leitão.

Eleições 2020 em SP: políticos fazem campanha na capital