PUBLICIDADE
Topo

RJ tem candidatos sem bens e 'milionários'; veja o que eles declaram ao TSE

1º.out.2020 - Candidatos à Prefeitura do Rio participam de debate em estúdio da TV Bandeirantes - Paulo Belote/Band Rio
1º.out.2020 - Candidatos à Prefeitura do Rio participam de debate em estúdio da TV Bandeirantes Imagem: Paulo Belote/Band Rio

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

04/10/2020 04h00Atualizada em 06/10/2020 12h54

Resumo da notícia

  • Bandeira de Mello declarou o maior patrimônio ao TSE: R$ 6,2 milhões
  • Dois candidatos à Prefeitura do Rio e três vices informaram não ter bens
  • A lista de "milionários" é composta por cinco candidatos ao Executivo carioca

A prestação de contas das chapas à Prefeitura do Rio revela contrastes patrimoniais, de acordo com dados apresentados pelos candidatos ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) até quarta-feira (30).

Em meio às 14 candidaturas cadastradas, cinco candidatos à prefeitura informaram possuir patrimônio acima de R$ 1 milhão, enquanto na outra ponta outros dois não declararam bens.

O maior patrimônio

Com quase R$ 6,2 milhões em bens declarados, Bandeira de Mello (Rede) é o candidato com o maior patrimônio.

Entre fundos de investimento, ações e aplicações, o ex-presidente do Flamengo acumula mais de R$ 5,3 milhões. Ele ainda declarou um apartamento na Barra da Tijuca, uma casa em Petrópolis (RJ) e dois veículos.

O TSE o aponta como o político com a maior evolução patrimonial (R$ 5,6 milhões) em comparação à última declaração à Justiça Eleitoral feita em 2018, quando declarou apenas um apartamento. Contudo, o candidato atribui a informação a um erro no site, que mostra apenas a primeira linha da declaração. Bandeira de Mello informou ter declarado um patrimônio equivalente a R$ 5,2 milhões em 2018 —R$ 1 milhão a menos em comparação à declaração deste ano.

"Por um erro no uso do sistema do TRE em 2018, apareceu apenas a primeira linha da minha declaração de bens na tela principal. Estamos entrando em contato com o TRE solicitando que retifique novamente o erro", disse, por nota.

Fred Luz (Novo) vem logo atrás, com bens avaliados em mais de R$ 4,7 milhões. Assim como Bandeira, o empresário também fez parte da diretoria do Flamengo, onde atuou como diretor na gestão de Bandeira de Mello e CEO. Fred declarou dois apartamentos na Barra da Tijuca, dois carros, aplicações e R$ 250 mil em dinheiro vivo.

Com patrimônios entre R$ 1,3 milhão e R$ 1,5 milhão, Martha Rocha (PDT), Glória Heloiza (PSC) e Luiz Lima (PSL) completam o grupo que declarou bens acima de R$ 1 milhão.

A deputada estadual Martha Rocha teve um aumento patrimonial de R$ 296 mil entre o declarado nas eleições de 2018 e agora.

Entre os vices, dois políticos tem patrimônio acima de R$ 1 milhão —Andréa Gouvea Vieira (da chapa de Bandeira de Mello) declarou R$ 1,5 milhão e Mauro Santos (da chapa de Glória Heloiza) informou possuir patrimônio de R$ 2,7 milhões.

Com um patrimônio de R$ 941 mil, Benedita da Silva (PT) deixou a lista dos "milionários" neste ano —em 2018, quando se elegeu deputada federal, ela declarou bens no valor de R$ 1,1 milhão.

Bolsos vazios

Na outra ponta, há cinco políticos que não declararam nenhum bem à Justiça Eleitoral.

Dois deles integram a mesma chapa: Henrique Simonard e Caetano Sigiliano, que compõem a chapa do PCO. Candidata pelo PMB, Suêd Haidar também não declarou bens.

A lista dos políticos sem bens ainda conta com dois vices: a tenente-coronel Andréa Firmino (Republicanos, vice de Marcelo Crivella) e Anderson Quack (PSB, vice de Martha Rocha).

A chapa do PSOL registrou patrimônio modesto se comparada à turma dos "milionários".

A candidata Renata Souza declarou um Renalt Sandero de 2015, avaliado em R$ 42 mil. Em comparação à declaração de 2018, o patrimônio dela encolheu em R$ 32 mil —valor referente à caderneta de poupança.

O vice de Renata, o coronel reformado da PM Ibis Pereira, declarou cerca de R$ 22 mil em dois depósitos bancários.

Com R$ 151 mil, Clarissa Garotinho (Pros) teve uma redução de bens no valor de R$ 40 mil em comparação às contas de 2018, quando foi eleita deputada federal.

Os bens de Crivella e Paes

Apontados como os favoritos nas pesquisas, Marcelo Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (DEM) não constam entre os milionários, mas também não aparecem entre os candidatos com menor patrimônio.

Crivella declarou R$ 665 mil em bens —um apartamento de 233 m² com quatro quartos e três vagas na garagem na Barra da Tijuca e aplicações no valor de R$ 30 mil. O prefeito, inclusive, registrou uma perda patrimonial de R$ 36 mil em comparação à declaração das eleições de 2016.

Já Paes informou à Justiça Eleitoral ter bens de R$ 478 mil —uma evolução patrimonial de R$ 153 mil em comparação à prestação feita nas eleições de 2018, quando concorreu ao governo do Rio.

Em aplicações e em conta corrente, Paes informou ter mais de R$ 400 mil. O ex-prefeito do Rio ainda declarou ter um veículo Volkswagen Tiguan de 2019.