PUBLICIDADE
Topo

Joice compara Doria e Bolsonaro a crianças e promete Lava Jato municipal

Joice Hasselmann compara Bolsonaro e Doria a duas crianças atirando bolinha de papel um ao outro - Reprodução/SBT
Joice Hasselmann compara Bolsonaro e Doria a duas crianças atirando bolinha de papel um ao outro Imagem: Reprodução/SBT

Do UOL, em São Paulo

13/10/2020 18h06

Candidata à Prefeitura de São Paulo, Joice Hasselmann (PSL) comparou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador João Doria (PSDB) a duas crianças jogando bolinhas de papel um ao outro e prometeu ainda criar a Lava Jato municipal. As declarações foram feitas na tarde de hoje, durante entrevista concedida ao SBT News e retransmitida pelo UOL.

"Quando vejo a economia sendo quebrada, aí, eu vejo o governador de São Paulo fazendo queda de braço com o presidente da República, tipo duas crianças, um jogando bolinha de papel no outro, e quem se lasca é a população", disse Joice.

"Eu me distanciei do presidente da República porque ele rasgou a bandeira da corrupção para defender um filho bandido, que pode ser preso a qualquer momento. Alguém que roubou dinheiro público. A minha coerência está aqui. Onde está a coerência dele? Onde está a coerência dele que disse que iria defender a Lava Jato até o fim, e agora admite 'eu acabei com a Lava Jato. Se o presidente acabou com a Lava Jato, nacionalmente, eu vou criar a Lava Jato municipal, aqui em São Paulo", afirmou ela.

Joice não citou o nome do filho de Bolsonaro a que se referia. Até o momento, nenhum dos filhos do presidente têm condenação por desvio de dinheiro público.

Prefeitura virou "esculhambação"

A candidata do PSL também não poupou críticas ao atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), e disse que a prefeitura da capital paulista virou "esculhambação", com "máfias" infiltradas nas mais variadas áreas.

"O orçamento [da cidade de São Paulo] é finito e eu ainda vou pegar um abacaxi bem menor do que pegou o Bruno Covas e não fez nada, vou pegar uns R$ 9 bilhões a menos do que tem hoje, vou ter que resolver mais com menos", afirmou.

"E como se resolve isso? Combatendo corrupção, porque daí não vaza dinheiro pelo ralo, botando gente eficiente para trabalhar, não como fez o atual prefeito botando amiguinhos que enriqueceram no entorno, rompendo contratos com quem tá metendo a mão no dinheiro público. Tem que fazer isso, coragem para enfrentar, enfrentando as máfias que existem dentro da prefeitura nas mais variadas áreas: tem máfia da saúde, máfia do transporte, máfia da educação, virou esculhambação", disse. A candidata não apresentou provas de suas afirmações.

Cirurgias em até 24 horas

Ainda durante a entrevista, Joice Hasselmann prometeu a realização de mutirões em hospitais e cirurgias em até 24 horas.

"A gente vai ter que fazer mutirões com muita força em que essas pessoas que estão nas filas entrem um dia no hospital, faça o exame pela manhã, pega o resultado à tarde para já se internar. No outro dia, ela faz a cirurgia, fica 24 horas no hospital e vai embora. Ela não vai precisar pegar um atestado, 2, 3, 4 como hoje tem que pegar, com medo de perder emprego", afirmou a candidata.

Joice também citou a possibilidade de se investir na telemedicina para se resolver o problema das filas nos hospitais.

"Por que alguém atendido por um hospital como [Albert] Einstein, por exemplo, pode ser atendido por um grande médico, no seu celular, e o médico vai saber se aquele paciente precisa de fato ir a uma unidade básica de saúde, pronto-socorro, buscar médico hospitalizado ou se esta com dor de cabeça. Então, gestão, parceria com hospitais privados e universitários, com universidades e muita tecnologia para resolver o problema da saúde. Da para resolver. Não resolveram porque não quiseram".

Segundo pesquisa Datafolha, divulgada na semana, Celso Russomanno (Republicanos) aparece com 27%, o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), tem 21%. A variação dele está dentro da margem de erro, de três pontos percentuais. Joice Hasselmann (PSL) aparece no levantamento com 1%.