PUBLICIDADE
Topo

'Fiz menos do que gostaria porque herdei uma dívida colossal', diz Crivella

23 nov. 2020 - Marcelo Crivella (Republicanos) faz campanha no Largo da Taquara, zona oeste do Rio de Janeiro - Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo
23 nov. 2020 - Marcelo Crivella (Republicanos) faz campanha no Largo da Taquara, zona oeste do Rio de Janeiro Imagem: Saulo Angelo/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

24/11/2020 07h47Atualizada em 24/11/2020 11h47

O prefeito do Rio de Janeiro e candidato à reeleição, Marcelo Crivella (Republicanos), afirmou que a dívida deixada pela gestão anterior —de Eduardo Paes (DEM), adversário no segundo no turno— prejudicou o seu governo e que, por isso, fez menos do que gostaria pela cidade.

"O fato é que fiz muito menos do que gostaria, porque herdei uma dívida colossal de R$ 7 bilhões para pagar em quatro anos, e a arrecadação caiu R$ 10 bilhões", afirmou Crivella em entrevista ao jornal "O Globo".

A última pesquisa Ibope, divulgada em 18 de novembro, mostra Paes com 53% das intenções de voto contra 23% de Crivella.

O atual prefeito também acusou a gestão Paes de desvios em grandes obras para a Copa do Mundo (2014) e Olimpíadas (2016).

"Na última hora, Eduardo [Paes] tirou o Morro da Providência da PPP do Porto Maravilha. O Porto, que estava orçado em R$ 2 bilhões, custou R$ 5 bilhões. Na Lava Jato, os delatores disseram que as obras das Olimpíadas eram multiplicadas por 2,2. O objeto do contrato não era a obra, era a propina", declarou.

Crivella também reconheceu que a falta de experiência o atrapalhou em seu primeiro mandato, mas afirmou que fará um governo muito melhor, se for reeleito.

"Tive um governo muito difícil, com R$ 15 bilhões a menos, mas se tiver a chance, se Deus permitir e o povo do Rio decidir, vou fazer um governo muito melhor. Eu era inexperiente. Já aprendi, apanhando muito", disse.