PUBLICIDADE
Topo

Covas perde em zonas de São Paulo conquistadas por Doria em 2016

Beatriz Montesanti

Colaboração para o UOL, de São Paulo

29/11/2020 23h56

Após ficar à frente em todas as zonas eleitorais de São Paulo no primeiro turno, o prefeito eleito Bruno Covas (PSDB) perdeu no segundo turno em oito zonas eleitorais da cidade.

Assim, seu desempenho ficou aquém do que elegeu seu antecessor, o correligionário e atual governador João Doria —eleito em 2016 no primeiro turno, ficando à frente em 56 das 58 zonas eleitorais de São Paulo.

Tal qual seu padrinho político em 2016, Covas perdeu em Parelheiros (49,6%) e Grajaú (45,7%). Além disso, ficou atrás de Boulos em Cidade Tiradentes (43,58%) e São Mateus (49,2%), na zona leste, Campo Limpo (49,4%), Capão Redondo (48,1%), Valo Velho (43,59%) e Piraporinha (45,38%), na zona sul —regiões conquistadas pelo PSDB no último pleito.

Com 100% das urnas apuradas, Covas foi eleito com 59,38% dos votos, o que correspondeu a 3,17 milhões de eleitores no segundo turno destas eleições. Seu adversário, Guilherme Boulos, teve 40,62%, ou 2,17 milhões de votos.

Em 2016, Doria foi eleito já no primeiro turno com 53,29% dos votos, ante 16,7% do então prefeito Fernando Haddad (PT). O resultado representou o melhor desempenho do PSDB na capital paulista nos últimos 20 anos.

À época, Doria teve ao todo 3,085 milhões de votos, enquanto Haddad não chegou a 1 milhão. Ainda assim, a quantidade foi menor do que a soma de votos brancos, nulos e abstenções, que naquele ano representaram 3,096 milhões. Doria deixou a prefeitura com pouco mais de um ano de mandato, em abril de 2018, para concorrer ao governo do estado. Foi quando seu vice, Covas, assumiu o comando.

Indianápolis e Jardim Paulista: maior votação tucana em 2016 e 2020 no 1º turno

O melhor desempenho do PSDB na ocasião foi em bairros de classe média alta, onde tradicionalmente o partido vai bem. Em Indianápolis, na zona sul, Doria obteve 73,83% dos votos, e no Jardim Paulista, zona oeste, 71,7%. O mesmo apoio ocorreu com Covas neste ano (75,87% e 73,36% respectivamente). Foram os bairros com maior votação dos dois candidatos.

Mas o que chamou atenção em 2016 foi o resultado do tucano em regiões periféricas, como Cidade Tiradentes (zona leste), onde Doria venceu com 33% dos votos, e Capão Redondo (zona sul), onde obteve 42,4%.

Em 2020, Covas perdeu nessas duas zonas eleitorais, além de outras quatro conquistadas pelo seu antecessor.