PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro e "lulopetismo" foram banidos das grandes cidades, diz Ciro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/12/2020 11h32Atualizada em 01/12/2020 13h29

O ex-governador do Ceará e ex-ministro Ciro Gomes (PDT) declarou hoje que o "bolsonarismo" e o "lulopetismo" foram banidos das grandes cidades nas eleições municipais deste ano. Ciro ainda conectou os dois segmentos e disse que um sustenta o outro.

Em entrevista ao UOL, conduzida pelo colunista Leonardo Sakamoto, Ciro afirmou que o pleito ficou marcado pela rejeição aos candidatos do PT e aos candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O Bolsonaro, para mim, nunca foi nem será jamais popular no Brasil enquanto o lulopetismo deixar de ser o fator ocasionador desse ultraconservadorismo brasileiro
Ciro Gomes, ex-governador do Ceará

"Esse lulopetismo sai completamente desmoralizado dessas eleições do Brasil. Espero que essas confrontações odientas sejam mandadas brigar lá fora, para que a gente possa construir aqui em audiência com a lição das urnas. O Brasil está sendo destruído do ponto de vista do seu tecido econômico e sua situação de contas públicas", afirmou.

Para o ex-governador cearense, houve um grande voto ao centro, centro-esquerda e centro-direita —mas que, na avaliação dele, não é "orgânico". "Precisa ser organizado para fazer alguma proposta para 2022, mas esse é o sinal que a população mandou nas urnas", disse Ciro.

"Além do resgaste da política da realização. Ganharam as eleições aqueles capazes de entregar, me parece o fim dos estagiários nas posições de grande responsabilidade", completou.

*Colaboraram Afonso Ferreira, Ana Carla Bermúdez, Felipe Oliveira e Leonardo Martins