PUBLICIDADE
Topo

Sem provas, aliados de Bolsonaro alimentam suspeitas contra TSE após resultados ruins

Sem provas, aliados de Bolsonaro alimentam suspeitas contra TSE após resultados ruins -                                 WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Sem provas, aliados de Bolsonaro alimentam suspeitas contra TSE após resultados ruins Imagem: WELINGTON LIMA/JC IMAGEM

Circe Bonatelli

15/11/2020 20h53Atualizada em 16/11/2020 01h08

A base de aliados do governo de Jair Bolsonaro usou as redes sociais para criticar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e espalhar suspeitas contra a segurança das urnas eletrônicas, além de voltar a pedir o voto impresso. Nenhuma prova foi apresentada.

As declarações ocorreram após instabilidades e maior lentidão da corte para divulgação dos resultados, além de uma tentativa de ataque hacker mais cedo que foi neutralizado.

Em entrevista coletiva na noite de hoje, o presidente do TSE, Luis Roberto Barroso, informou que a lentidão se deveu a um problema técnico, sem relação com o ataque cibernético, e que não houve qualquer comprometimento da credibilidade da apuração.

As falas surgiram após os candidatos apoiados por Jair Bolsonaro - como Celso Russomanno em São Paulo, Bruno Engler em Belo Horizonte e Marcelo Crivella no Rio - não decolarem, de acordo com pesquisas boca-de-urna e com os resultados iniciais da apuração. Dos três, as pesquisas indicam que apenas Crivella avançará ao segundo turn.

"O ataque hacker, partido do exterior, não afeta a apuração da eleição, mesmo tendo exposto dados de funcionários do TSE, disse o TSE. Mas sempre há o risco. Se já tivesse sido implementado o voto impresso as eleições estariam garantidas,fora a questão da transparência e auditoria", afirmou no Twitter o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL).

"E-título e site do TSE travaram... hackers agindo livremente... nenhum sistema é plenamente confiável... por isso, o VOTO IMPRESSO se impõe", postou o deputado federal Major Vitor Hugo (PP), ex-líder do governo na Câmara, substituído este ano por representante do Centrão.

"Barroso ficou todo pimpão elogiando os sistemas da Justiça Eleitoral e afirmando que em 2022 os brasileiros vão poder votar por telefone ou pelo computador. Mas como isso vai dar certo, se nessa eleição o site do TSE saiu do ar pra baixar o título e na apuração cai toda hora", criticou o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson.

Problemas no TSE

O TSE enfrenta dificuldades neste domingo para divulgação dos resultados do pleito de 2020. O órgão afirmou há instantes que não há problemas na apuração dos resultados, e sim apenas na plataforma de publicação dos números.

Mais cedo, o presidente do TSE relatou que houve uma tentativa de ataque ao sistema que abriga as informações da Justiça Eleitoral, mas, segundo ele, isso foi totalmente neutralizado e não gerou nenhum prejuízo ao processo.

Hoje à tarde, durante entrevista coletiva, Barroso foi questionado sobre alegações de fraudes. Sem citar nomes, ele respondeu: "O Brasil é um caso singular em que até quem ganha acusa fraude".