PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Testemunhas dizem que funcionários evitaram morte de mais crianças em escola nos EUA

Do UOL, em São Paulo

16/12/2012 11h51

Testemunhas do ataque que deixou 27 mortos, entre eles 20 crianças, na sexta-feira (15), afirmaram que mais alunos poderiam ter sido vítimas se não fosse pela coragem de alguns professores e funcionários da escola Sandy Hook, em Newtown, no Estado americano de Connecticut.

A diretora do colégio, Dawn Hochsprung, e a psicóloga, Mary Sherlach, ambas vítimas do massacre, estão entre as pessoas que evitaram mais mortes.

Segundo testemunhas, Dawn saía de uma reunião quando se deparou com o tiroteio. A diretora teria se jogado na direção do atirador e, por isso, foi morta.

A professora Vicki Leigh Soto morreu porque teria se colocado entre o atirador e seus alunos, quando escondeu as crianças, afirmou seu primo Jim Wiltsie ao jornal "Wall Street Journal".

"Ela ficou entre as balas e as crianças. Vicki foi uma heroína ao fazer isso", disse.

A bibliotecária Mary Ann Jacob contou a repórteres que estava com 18 alunos quando escutou os tiros. Ela conseguiu avisar estudantes de outra classe e escondeu todas as crianças até a chegada da polícia.

"Acalmamos todos com papeis e lápis de cera", contou. Mary Ann só abriu a sala onde estavam todos escondidos para a polícia, quando um oficial jogou sua identificação por baixo da porta.

Até mesmo as crianças demonstraram coragem durante o massacre. Um aluno de apenas seis anos teria presenciado a morte de seu professor. Assim que viu o tiro, ele agarrou seus amigos e saiu correndo com eles pela porta da sala de aula.

"Meu filho foi um herói. Ele esperou seus amigos para fugir", contou o pai do estudante, Robert Licata.

(Com NBC News)

Internacional