PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Professora que morreu para proteger alunos escondidos em armário vira heroína de massacre em colégio nos EUA

Jillian Soto, irmã da professora Victória, se desespera em busca de informações ao chegar na escola primária Sandy Hook em Newtown, no Estado americano de Connecticut, após o massacre que deixou 26 pessoas mortas - Jessica Hill/Reuters
Jillian Soto, irmã da professora Victória, se desespera em busca de informações ao chegar na escola primária Sandy Hook em Newtown, no Estado americano de Connecticut, após o massacre que deixou 26 pessoas mortas Imagem: Jessica Hill/Reuters

Do UOL, em São Paulo

17/12/2012 17h29

Mesmo diante do cenário de horror que se alastrou em Connecticut, nos Estados Unidos, após o ataque a uma escola primária que deixou 26 pessoas mortas na última sexta-feira (14), o heroísmo também deixou marcas em meio a tantas lágrimas. A professora Victória Soto, 27, por exemplo, não poupou sua vida para salvar seus alunos.

Victória aproveitou o tempo que lhe restava para esconder seus alunos da primeira série dentro de um armário. Como se não bastasse, ela decidiu ficar do lado de fora para protegê-los.

Nesse ato de bondade, Vitória se tornou alvo fácil de Adam Lanza, 20, autor do massacre. Amigos e familiares da professora, que trabalhava na escola Sandy Hook há cinco anos, disseram que não ficaram surpresos com a atitude dela.

Já na sexta-feira, uma foto de Jillian Soto, irmã de Victoria, ao telefone e chorando, tornou-se uma das imagens mais emblemáticas do massacre na escola norte-americana.

"Nós ouvimos dizer que a polícia encontrou muitas pessoas se escondendo em armários. E sabia que Victória jamais faria isso. Ela estaria lá fora, protegendo seus alunos", disse Donna Soto, a mãe da professora, durante uma entrevista à rede de TV americana CBS. "A família e o ensino eram sua vida", completou.

Vitória foi encontrada "protegendo as crianças e fazendo instintivamente o que ela sabia fazer", disse o primo de Soto, James Wiltsie em entrevista ao jornal americano "7 News".

O heroísmo da professora também foi reconhecido por pais de seus alunos, que se disseram muito gratos por ela ter salvado seus filhos de seis a sete anos de idade.

"A senhora Soto, que era professora de Aden, teve a presença de espírito para mover as crianças de uma distância relativamente grande e protegê-los sem temer os riscos", disse Robert Licata, pai de dois alunos Sandy Hook.  

"Você tem uma professora que se preocupava mais com seus alunos do que ela mesmo", disse o prefeito de Stratford, João Harkins, cidade natal de Victória. "Isso diz muito de seu caráter, e seu empenho e dedicação."

Internacional