Topo

WikiLeaks: Dilma, ministros e avião presidencial foram espionados pela NSA

Dilma e Obama durante visita oficial da presidente aos EUA nesta semana - Carolyn Kaster/AP
Dilma e Obama durante visita oficial da presidente aos EUA nesta semana Imagem: Carolyn Kaster/AP

Do UOL, no Rio

04/07/2015 08h36Atualizada em 04/07/2015 15h07

O site WikiLeaks divulgou neste sábado (4) informações confidenciais da NSA (sigla em inglês para a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos) que revelam espionagem a contra a presidente Dilma Rousseff e alguns de seus ministros e assessores em 2011. O avião presidencial da brasileira também foi alvo de interceptações, segundo o WikiLeaks.

A lista divulgada pelo site contém 29 telefones de ex-membros dos governos da petista, entre eles o do ex-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. Também foram alvo do monitoramento americano ministros responsáveis pela gestão econômica do governo, um diretor do Banco Central, além de diplomatas e chefes militares.

A publicação acontece quatro dias depois da visita de Dilma ao presidente Barack Obama na Casa Branca, em Washington. Na ocasião, Dilma afirmou que confia no presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e deu por superada a crise na relação bilateral provocada pela espionagem em 2013.

O WikiLeaks não informou se o arquivo foi obtido pelo ex-analista da NSA, Edward Snowden, que em 2013 revelou aos jornalistas Glenn Greenwald e Laura Poitras, por meio de documentos secretos, o alcance da espionagem da agência.

Em setembro daquele ano, denúncias de que Dilma e a Petrobras eram espionados pela NSA fizeram com que a presidente decidisse cancelar uma visita oficial que faria aos Estados Unidos no mês seguinte. Na visita desta semana, o episódio foi classificado como superado pela mandatária brasileira.

A relação que mostra os 29 alvos brasileiros contém os números de telefones dos selecionados --cujos últimos quatro dígitos foram escondidos na divulgação-- e a descrição da relevância das informações necessárias, divididas em "Brasil: Assuntos Políticos" e "Desenvolvimento Financeiro Internacional", entre outros dados.

No Brasil, os documentos foram revelados pela revista "Carta Capital", pela agência Pública, pelo canal de TV por assinatura "GloboNews" e pelo jornal "O Globo". O site "The Intercept" também publicou as novas revelações de espionagem.

Segundo a revista, para monitorar a presidente, a NSA selecionou dez números de telefone diretamente ligados a Dilma, incluindo telefones fixos de escritórios, como aquele usado pelo comitê de campanha, em 2010, celulares marcados como “relações de Dilma” (“liaison”, em inglês) e a linha fixa do Palácio do Planalto.

Ainda de acordo com a revista, o telefone via satélite instalado no avião presidencial, o Airbus Força Aérea 1, também foi grampeado.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse que as espionagens feitas pela NSAsão "um caso superado" e que em nada afetam os acordos firmados entre os dois países na última semana.

Mais Internacional