Ataque com bomba deixa 28 mortos e 61 feridos na capital da Turquia

Do UOL, em São Paulo

Uma explosão próxima a um alojamento militar deixou pelo menos 28 mortos e 61 feridos no centro da Ancara, capital da Turquia, nesta quarta-feira (17). De acordo com o governo local, o ataque foi realizado com um carro-bomba, que teria explodido durante a passagem de um comboio militar.

O ataque ocorreu no bairro de Çankaya, onde se encontram várias instalações militares, muito próximo do quartel central da Força Aérea turca e também a algumas centenas de metros do Parlamento.

Segundo a emissora CNN Turk, a explosão atingiu três ônibus com militares que se transferiam a uma casa-quartel, e a maior parte das vítimas parece ser militar.

A explosão gerou um incêndio e uma nuvem preta que tomou conta dos céus da cidade, e diversas ambulâncias foram chamadas para atender os feridos.

Um porta-voz do partido oficial do governo turco classificou a explosão como um "ato de terrorismo".

AFP
Bombeiros tentam combater fogo após a explosão atingir um comboio militar

A Turquia, atuante na guerra civil da Síria, tem sido alvo frequente de atentados terroristas do Estado Islâmico, além de violentos conflitos entre militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e a polícia.

Os ataques com explosivos contra comboios militares são uma das táticas frequentes do PKK que, no entanto, costuma atuar no sudeste da Turquia, próximo à fronteira com a Síria, em uma região de concentração curda.

Dois atentados recentes deixaram mortos tanto na capital Ancara como na maior cidade do país, Istambul. Nessa última, um ataque em 12 de janeiro deixou dez mortos e 15 feridos na região turística de Sultanahmet, próxima à Mesquita Azul e à Basílica de Santa Sofia. O atentado foi reivindicado pelo Estado Islâmico.

Em Ancara, um ataque com duas bombas, do qual o EI também é suspeito, matou 103 pessoas e feriu mais de 500 em outubro de 2015. As explosões ocorreram em uma estação de trem da capital turca, pouco antes do início de uma passeata em protesto à onda de violência entre milícias curdas e forças do governo. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos