Um ano após atentados, Bataclan reabre com Sting e um minuto de silêncio

Do UOL, em São Paulo*

  • Divulgação/Universal Music France/Reuters

    Sting faz passagem de som logo antes de tocar na reabertura do Bataclan

    Sting faz passagem de som logo antes de tocar na reabertura do Bataclan

Na véspera do aniversário de um ano dos atentados terroristas em Paris, na França, a casa de shows Bataclan --palco de um dos ataques mais sangrentos naquele dia-- reabriu neste sábado (12) com um show do cantor Sting, antecedido por um minuto de silêncio em homenagem às vítimas, segundo notícias na imprensa local. 

"Esta noite nós devemos honrar a vida. Nós não esqueceremos deles", disse o ex-vocalista do The Police no início de sua apresentação. O grupo fez no Bataclan um show memorável em 23 de abril de 1979.

Ele não cobrará pelo show, cuja renda será destinada a duas associações de vítimas. Os 1.000 ingressos colocados à venda na última terça-feira se esgotaram em menos de meia hora. Os últimos foram distribuídos ontem. A sala, com capacidade para 1.497 pessoas, também recebe autoridades e parentes das vítimas.

130 mortos

Em 13 de novembro de 2015, a onda de terror começou nos arredores do estádio nacional, ao norte da capital francesa, durante uma partida entre França e Alemanha, e continuou no Bataclan e em bares e restaurantes da cidade.

O balanço final dos ataques, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI), foi de 130 mortos. Só no Bataclan, onde se apresentava então a banda Eagles of Death Metal, houve 90 vítimas.

Homenagem às vítimas

Os atos pelo primeiro aniversário dos atentados começaram na noite desta sexta-feira (11), no estádio nacional de Saint-Denis, onde os 80 mil espectadores guardaram um minuto de silêncio antes da partida entre França e Suécia pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

"Deve-se lembrar: 130 mortos, centenas de feridos. Primeiro, por sua memória, mas também por todos os que sobreviveram, e para nós que temos que fazer este ato de recordação, de consolo, apoio e solidariedade", disse o presidente francês, François Hollande.

Acompanhado de parentes das vítimas, Hollande, a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e seu colega de Saint-Denis, Didier Paillard, visitarão neste domingo (13) todos os lugares atingidos pelos atentados: o estádio nacional, os bares e restaurantes Le Carillon, Le Petit Cambodge, La Bonne Bière, Cosa Nostra, Comptoir Voltaire e La Belle Équipe, e o Bataclan. No dia do aniversário, serão inauguradas placas com o nome das vítimas.

(Com AFP)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos