Alemanha confirma que ataque em mercado de Natal em Berlim foi atentado

Do UOL, em São Paulo

A chanceler alemã, Angela Merkel, classificou como atentado terrorista o ataque contra um mercado de Natal em Berlim na segunda-feira (19). "Pelo que se sabe atualmente, devemos presumir de que se trata de um atentado terrorista", disse. Até então, as autoridades da Alemanha estavam evitando tomar posições e declarar que o acidente pudesse ter sido planejado e executado por terroristas. O ataque deixou 12 mortos e ao menos 48 feridos; 18 encontram-se em estado grave. 

Merkel disse, nesta terça-feira (20), que será "difícil suportar" caso um imigrante tenha sido o autor do atentado. "Há muito que ainda não sabemos com certeza suficiente, mas precisamos, da forma que as coisas estão agora, presumir que foi um ataque terrorista", disse Merkel. "Sei que seria especialmente difícil para nós suportarmos isso caso seja confirmado que a pessoa que cometeu este ato era alguém que buscou proteção e asilo", acrescentou.

Arte UOL

Um paquistanês de 23 anos é o principal suspeito de ter realizado o ataque. Ele seria Navid B., nascido em 1º de janeiro de 1993, em Turbat. Navid teria chegado à Alemanha no dia 31 de dezembro de 2015. Em Berlim, ele se estabeleceu em fevereiro deste ano, segundo o ministro do Interior, Thomas de Maizière. O suspeito estaria negando participação no ataque, segundo o ministro. "Ele nega o crime. A investigação continua".

O paquistanês teria abandonado o caminhão após o ataque, fugindo na direção leste de Berlim. Depois, teria atravessado a pé o parque Tiergarten, no centro da cidade, onde foi detido pela polícia após alertas de moradores da região. O local onde ele foi encontrado fica a uma distância de um quilômetro da praça Breitscheid, onde ocorreu o ataque.

Polícia diz não ter certeza sobre suspeito preso

O chefe da polícia de Berlim disse nesta terça que não está claro se o paquistanês preso é o motorista do caminhão. "Até onde eu sei, é incerto se ele realmente é o motorista", disse o comandante da polícia da cidade, Klaus Kandt.

A polícia local disse no Twitter que está vigilante, pois o suspeito preso havia negado envolvimento no incidente, o qual a polícia disse ter sido um ataque deliberado. "O suspeito preso temporariamente nega a acusação", disse a polícia de Berlim pelo Twitter. "Portanto, estamos particularmente alertas. Por favor, estejam também em alerta".

Mais cedo, a polícia alemã disse acreditar que o paquistanês não era o verdadeiro autor do ataque, relatou o jornal "Die Welt", citando fontes seniores da segurança. "Temos o homem errado", disse um chefe da polícia sênior. "Logo, uma nova situação. O verdadeiro autor ainda está armado, foragido e pode causar novos danos", disse a fonte segundo o jornal.

Veículo

O caminhão utilizado no ataque pertence a uma empresa de transporte polonesa, sediada na cidade de Estetino. O veículo tinha passado pela Itália e transportava estruturas de aço que deveriam ser descarregadas em Berlim.

O GPS do caminhão indica que, na tarde de segunda-feira, o aparelho foi desligado várias vezes e, depois, removido do carro. De acordo com a imprensa da Polônia, o caminhão foi roubado por volta das 16h --hora local-- de segunda-feira.

As autoridades polonesas e alemães disseram que o homem de origem polonesa que estava no banco de passageiros do caminhão foi morto a tiros, em mais um indício de que um suposto funcionário da companhia teria sofrido um sequestro ou um assalto. 

O dono da companhia de transporte, Ariel Zurawski, disse que não havia conseguido contato com o motorista original da unidade, também polonês, desde a tarde de segunda-feira, por volta do mesmo horário do roubo do veículo. "Não sabemos o que aconteceu, é meu primo, o conheço desde que era criança, posso jurar por ele", disse o empresário.

Apoio internacional

O presidente americano, Barack Obama, falou nesta terça-feira (20), por telefone com a chanceler alemã, Angela Merkel, e ofereceu todo o apoio de seu país para o esclarecimento do atentado terrorista.

Em comunicado, o governo alemão informou que Obama transferiu a Merkel suas condolências pelo ataque contra um dos mercadinhos natalino do centro da capital, que foi invadido por um caminhão que atropelou os presentes. 

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, também apresentou suas condolências às autoridades da Alemanha. "Este crime perpetrado contra pessoas pacíficas estremece por sua crueldade e cinismo", afirmou em mensagem.

Assim como Obama, Putin pediu para transmitir as palavras de condolência e apoio aos parentes das vítimas e desejo de pronta melhora aos feridos

(Com agências internacionais)
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos