Turquia prende dois suspeitos de envolvimento em ataque a boate

Do UOL, em São Paulo

  • Murad Sezer/ Reuters

    Interior da boate Reina após o ataque do atirador, em Istambul

    Interior da boate Reina após o ataque do atirador, em Istambul

Dois cidadãos estrangeiros foram detidos nesta terça-feira (3) no aeroporto internacional Ataturk de Istambul no âmbito da investigação sobre o atentado reivindicado pelo grupo EI contra uma exclusiva boate no Ano Novo, informou a agência de notícias Dogan.

As duas pessoas, cuja nacionalidade não foi informada, foram detidas na entrada do terminal de partidas internacionais e transferidas ao quartel-general da segurança em Istambul, disse a Dogan.

Ontem, a polícia da Turquia fez buscas em vários locais de Istambul. A principal operação policial aconteceu na noite de segunda-feira nos bairros de Zeytinburnu e Basaksehir, ambos na parte europeia de Istambul. Em Zeytinburnu foram detidas 12 pessoas relacionadas com o ataque ou com supostos vínculos com o grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI).

Na noite desta segunda-feira, a principal ação foi uma batida numa casa de Zeytinburnu, onde um homem saltou de uma janela para a rua e acabou sendo detido. Segundo o site do jornal Cumhuriyet, este homem não é o suposto terrorista. A operação policial incluiu o uso de helicópteros, enquanto várias ruas de Istambul foram fechadas ao trânsito.

A imprensa turca afirmou que a polícia já conhece a identidade do atirador e que familiares dele estão sob custódia das autoridades da Turquia. "A polícia sabe a identidade do terrorista e sua família está sob custódia policial", afirmou o jornal Hurriyet.

Vários sites de jornais turcos publicaram fotos de um homem suspeito de ser o terrorista, incluindo uma imagem que parece ser um selfie. As imagens foram divulgadas pela polícia.

 

Câmaras flagram homem atirando dentro de boate em Istambul

  •  

Nesta terça-feira, sites de notícias da Turquia divulgaram um vídeo selfie feito num celular e que mostra um homem que seria o atirador. O vídeo mostra o suposto atirador filmando a si mesmo na praça Taksim. Não está claro se as imagens foram gravadas antes ou depois do atentado.

Já o jornal Cumhuriyet, que também diz que a família está sob custódia na cidade de Konya, assegurou ter entrevistado a mulher do terrorista e afirmou que ele vem do Quirguistão. "Eu ouvi sobre o ataque pela televisão. Não sabia que meu marido era simpatizante [do EI]", disse a mulher ao jornal, afirmando que o suspeito e sua família chegaram a Istambul em 20 de novembro, em voo proveniente do Quirguistão. De lá seguiram para Ancara e, em 22 de novembro, para Konya. Nesta cidade, ele "alugou um estúdio por 1,1 mil liras (cerca de 300 dólares) e pagou três meses antecipado.

Ele disse que chegou a Konya para buscar trabalho. No dia 29 de novembro viajou de carro para Istambul", afirmou o jornal. Após ver sua foto, "vários vizinhos da casa alugada por ele chamaram a polícia para dizer que o tinham reconhecido", completou. O "Estado Islâmico" reivindicou o atentado à casa noturna, uma das mais famosas de Istambul. A polícia turca suspeita que o atirador seja um homem da Ásia, da região chinesa de Sinkiang (de maioria muçulmana), do Uzbequistão ou do Quirguistão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos