Trump cita mortes de cristãos no Oriente Médio e pede "fronteira forte"

Do UOL, em São Paulo

Em meio a protestos e críticas contra a proibição à entrada de refugiados e cidadãos de sete países de maioria muçulmana nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump usou sua conta no Twitter para falar sobre os cristãos no Oriente Médio.

"Cristãos no Oriente Médio estão sendo executados em grandes quantidades. Não podemos permitir que esse horror continue", disse.

Mais cedo, Trump já havia se manifestado sobre a questão na rede social, dizendo que os EUA precisam de fronteiras fortes. Segundo ele, a Europa e o mundo vivem uma "bagunça terrível".

Líderes da União Europeia, como o presidente francês François Hollande e a chanceler alemã Angela Merkel, criticaram duramente a política anti-imigração de Trump.

A medida, assinada por Trump na sexta-feira, barra a entrada de refugiados e cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Sudão, Somália e Síria nos EUA por pelo menos 120 dias.

Uma decisão da Justiça Federal do distrito de Nova York, porém, suspendeu parcialmente os efeitos do decreto. A decisão, que tem validade em todo o território americano, permite a entrada de imigrantes que já tenham chegado ao território americano e daqueles que estão em trânsito com vistos válidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos