Obama comenta decreto de Trump: "discordo de discriminação com base em religião"

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente dos EUA Barack Obama afirmou nesta segunda-feira (30) que "discorda fundamentalmente" de medidas de discriminação contra pessoas baseadas em religião, ao comentar a ordem executiva de seu sucessor, Donald Trump, que proíbe a entrada de refugiados sírios e de cidadãos e outros seis países de maioria muçulmana nos EUA.

Obama, que deixou o poder há dez dias, afirmou que "discorda fundamentalmente com a noção de discriminação contra indivíduos por causa de sua fé ou religião". 

É a primeira manifestação pública do ex-presidente desde que deixou a Casa Branca.

"Cidadãos exercendo seus direitos constitucionais de assembleia, de organização e de ter suas vozes ouvidas pelas autoridades eleitas é exatamente o que se espera ver quando os valores americanos entram em questão", disse Obama por meio de seu porta-voz, Kevin Lewis. 

Lewis disse ainda que Obama está "encorajado pelo nível de engajamento acontecendo nas comunidades ao redor do país". (Com agências internacionais)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos