Pence usou e-mail privado para assuntos públicos enquanto governador, diz jornal

Do UOL, em São Paulo

  • Matt Rourke/AP

    Vice-presidente Mike Pence durante seu juramento no Capitólio, em Washington

    Vice-presidente Mike Pence durante seu juramento no Capitólio, em Washington

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, teria usado uma conta de e-mail privada para conduzir negócios públicos quando era governador de Indiana. A prática, apesar de considerada legal, levantou questões sobre a segurança das comunicações, que, às vezes discutia "questões sensíveis e de segurança interna", informou o "The Indianapolis Star" nesta quinta-feira (2).

Segundo a reportagem, reproduzida pelo "The New York Times", os e-mails aos quais o jornal teve acesso mostram que Pence usou uma conta pessoal da AOL para conversas com seus conselheiros sobre temas que vão desde os portões de segurança na residência do governador até a resposta do Estado a ataques terroristas em todo o mundo. Em um dos e-mails, o principal conselheiro de segurança interna do Estado teria transmitido uma atualização do FBI sobre prisões de vários homens por acusações federais relacionadas ao terror.

Especialistas em segurança cibernética consultados pelo jornal disseram que a descoberta dos e-mails trocados por Pence levanta preocupação sobre a confidencialidade das informações, uma vez que contas pessoais são normalmente menos seguras do que as contas de e-mail do governo. "Na verdade, a conta pessoal do Pence foi hackeada no verão passado", informa o jornal.

Consultado pelo veículo de comunicação norte-americano, o escritório de Pence em Washington disse que durante todo seu tempo como governador de Indiana Mike Pence realmente manteve uma conta do e-mail do Estado e uma conta pessoal e que as mensagens de ambas as contas "estão sendo arquivadas pelo Estado de acordo com a lei de Indiana" e gerenciadas de acordo com uma série de leis que garantem o acesso público às informações do governo de Indiana.

"Uma coisa é ter uma conta da AOL e usá-la para enviar cartões de aniversário para os netos", disse à reportagem Justin Cappos, professor de segurança de computadores da Escola de Engenharia Tandon da Universidade de Nova York. "Mas outra coisa é usá-lo para enviar e receber mensagens sensíveis e que poderiam afetar negativamente as pessoas se essas informações forem públicas."

O jornal explica que a lei de Indiana não proíbe os funcionários públicos de usar contas pessoais de e-mail, "embora a lei seja geralmente interpretada como significando que os negócios oficiais conduzidos em e-mails privados devem ser mantidos para fins de registro público".

Semelhante preocupação com segurança envolveu a candidata da oposição a Trump, Hillary Clinton, que também teria se utilizado de um servidor e uma conta de e-mail privados durante seu mandato como secretária de Estado. Pence como governador, no entanto, "não teria lidado com questões de segurança nacional tão sensíveis ou tão amplas como aquelas tratadas por Clinton em sua posição ou com assuntos classificados", explica o jornal.

Pence foi anunciado por Trump como seu vice-presidente em 15 de julho do ano passado. Além de chefiar Indiana de 2013 a 2016, ele também foi deputado federal por 12 anos.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos