PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA enfrentam boatos sobre tubarão na rua e restrição a imigrantes após inundação

28.ago.2017 - Moradores fogem de região alagada em Houston, Texas - Jonathan Bachman/ Reuters
28.ago.2017 - Moradores fogem de região alagada em Houston, Texas Imagem: Jonathan Bachman/ Reuters

Do UOL, em São Paulo

29/08/2017 13h54

Os danos causados pelo Harvey, que tocou a terra como furacão mas hoje é classificado como tempestade tropical, não foram os únicos transtornos enfrentados pelos moradores do Texas, nos EUA, nos últimos dias. Em uma era em que as redes sociais desempenham um papel importante, os americanos tiveram que lidar com boatos e desinformações sobre o que estava ocorrendo nos locais afetados. Os rumores iam de presença de tubarão nas ruas inundadas a questões de acesso de imigrantes aos abrigos.

O rumor sobre tubarão nas ruas é antigo. Nas redes sociais, como o Twitter, alguns usuários compartilharam imagem do que parece ser um motorista mostrando da janela do carro um tubarão passando ao lado na rua alagada.

29.ago.2017 - Tuíte mostra suposto tubarão em rua de Houston após inundação provocada pela tempestade Harvey - Twitter - Twitter
Imagem de tubarão nadando em rua alagada já apareceu em outras situações de tragédia
Imagem: Twitter

A imagem e a história não são novas. Elas já haviam aparecido em outras tragédias, como na passagem do furacão Irene por Porto Rico, em 2011, do furacão Sandy pelos EUA, em 2012, e do furacão Joaquin também nos EUA, inclusive atingindo Houston, em 2015.

Outro boato que circulou na segunda-feira (28), quando se intensificava o esforço para se socorrer os desabrigados, foi a de que a cidade de Houston estaria checando o status de imigrante antes de oferecer abrigo. O rumor fez com que o governo de Houston divulgasse nota desmentindo o rumor, afirmando que "não estava verificando o status de imigração ou documentos de qualquer um em qualquer abrigo".

 

O número para chamadas de emergência nos EUA é o 911. No entanto, um boato afirmava que o número 800 direcionaria a vítima diretamente para Guarda Nacional, responsável por ajudar as vítimas das inundações em Harvey.

Quem ligasse para esse número caía em uma companhia de seguros. O golpe fez a Guarda Nacional se pronunciar no Twitter e alertar para o golpe.

Outros boatos desmentidos pelas equipes que lidam com situação de emergência foram sobre uma possível evacuação da cidade de Houston e que a água fornecida para a cidade estaria contaminada pela inundação.

"Harvey", que chegou ao litoral com ventos máximos sustentados de 215 quilômetros por hora, o que lhe converteu em um furacão de categoria 4 na escala Saffir Simpson, em um máximo de 5.

A expectativa é que "Harvey" provoque até quinta-feira novas chuvas que poderiam alcançar entre 25 e 50 centímetros no sudoeste da Louisiana e no norte do Texas.

Harvey deixa rastro de destruição no Texas

UOL Notícias

Nesta última região, as chuvas poderiam provocar acúmulos de água de até 1,2 metro, inclusive nas áreas metropolitanas de Galveston e Houston, cidade que sofreu enormes inundações nos últimos dias.

O outro grande perigo é o aumento do nível do mar nas zonas costeiras, devido à ressaca ciclônica e às altas ondas provocadas pelos fortes ventos, e em algumas áreas se esperam aumentos do nível do mar de até um metro de altura.

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos EUA reiterou seu pedido para que as pessoas que se encontram a salvo não tentem retornar às áreas afetadas e para que não se conduza por vias inundadas.

 

Internacional