"Serei um atirador profissional de escolas": FBI investigou post no YouTube com nome do suspeito

Do UOL, em São Paulo

O FBI confirmou nesta quinta-feira (15) que investigou um comentário no YouTube, feito no ano passado, cujo autor expressava desejo de ser um "atirador profissional de escolas". O perfil tinha o nome do acusado pelo massacre em uma escola em Parkland, na Flórida, Nikolas Cruz --preso pela polícia após o massacre de quarta-feira, que deixou 17 mortos.

Segundo Robert Lasky, agente do FBI responsável pelo caso, os investigadores não conseguiram identificar, na época, o autor do comentário. "Revisamos todo o material que tínhamos, mas não conseguimos a identificação. Vamos olhar novamente esse material", afirmou Lasky nesta quinta.

A história foi revelada pelo youtuber Ben Bennight. Segundo ele, o comentário foi postado em setembro de 2017 em um vídeo publicado por ele no YouTube. Com o perfil "nikolas cruz", o autor da postagem disse: "Serei um atirador de escolas profissional". Ao notar o comentário, Bennight sinalizou a mensagem para o YouTube, que a removeu, e enviou a imagem ao FBI.

Reprodução/Ben Bennight/YouTube
Comentário no YouTube de setembro de 2017 diz: "serei um atirador profissional de escolas"; perfil tem o mesmo nome do atirador

Segundo o youtuber, em entrevista ao Buzzfeed, o FBI o visitou no dia seguinte. "Me perguntaram se eu sabia alguma coisa sobre a pessoa. Eu disse que não. Eles pegaram uma cópia da captura da imagem de tela", disse ele. O FBI voltou a entrar em contato com Bennight na quarta (14), após o massacre na escola Marjory Stoneman Douglas.

Ainda na quarta-feira, o xerife do condado de Broward, Scott Israel, afirmou que Cruz havia deixado mensagens "perturbadoras" nas redes sociais antes do ataque. Seus perfis foram excluídos.

Instagram via AP
Publicações no Instagram de Nikolas Cruz mostram várias armas

Fascínio por armas

O rapaz de 19 anos chegou no horário do fim das aulas do colégio, do qual havia sido expulso por "razões disciplinares", portando um fuzil semiautomático AR-15 e uma grande quantidade de munição. Ele disparou o alarme de incêndios para dar início ao ataque contra os estudantes que deixavam o prédio.

O atirador mostrava nas redes sociais fascínio por armas. Em postagens no Instagram, ele exibia imagens do AR-15 e outras armas que guardava em casa e falava sobre seu gosto por atirar em animais.

Veja também:

Vizinhos de Cruz afirmaram ao jornal "Sun Sentinel" que em várias ocasiões tiveram que chamar a polícia por causa de incidentes com o jovem, alguns deles por atirar em galinhas.

Um estudante entrevistado pela cadeia local WSVN-7 disse que Cruz era um garoto com problemas, possuía armas em casa e que havia comentado que iria usá-las. "Ele disparava seu fuzil porque dava uma sensação de embriaguez", afirmou.

Segundo Nicholas Coke, outro estudante, Cruz era um jovem solitário, que abandonou a escola meses antes porque ia se mudar para o norte da Flórida, depois da morte de sua mãe.

Outro estudante entrevistado pelo canal local WJXT afirmou que já era previsível que o rapaz passasse das ameaças à ação.

"Honestamente, muita gente dizia que um dia ele iria atirar no colégio", disse o aluno, que não quis ser identificado.

IMAGENS FORTES: Alunos registram tiros dentro de escola na Flórida

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos