Kim e Moon falam sobre desnuclearização e finalizam declaração conjunta

Do UOL, em São Paulo

Os líderes da Coreia do Norte e a Coreia do Sul, Kim Jong-un e Moon Jae-in, falaram nesta sexta-feira (27), na primeira sessão da sua histórica cúpula, sobre a possível desnuclearização de Pyongyang e finalizaram uma declaração conjunta, informou um porta-voz de Seul.

Na sessão matutina da reunião, que durou 100 minutos, "falaram sobre a desnuclearização e estabelecimento da paz na península e sobre melhoria das relações" entre os dois países, que tecnicamente seguem em guerra, de acordo com o porta-voz da presidência sul-coreana, Yoon Young-chan.

Kim e Moon estiveram reunidos na Peace House, um edifício localizado no lado sul da zona de segurança conjunta. Ele foi construído em 1989 e  é palco de várias reuniões intercoreanas (embora nunca uma cúpula) e condicionado nos últimos dias. É um prédio de três andares, terraço e porão operado pelo Serviço Nacional de Inteligência (NIS) sul-coreano.

Após a reunião, os líderes e suas delegações se dirigiram para lugares diferentes. O líder supremo e sua comitiva se deslocaram para o pavilhão Panmungak, localizada em frente à demarcação militar e no território norte-coreano, enquanto a delegação sul-coreana, liderada por Moon, permaneceu na Peace House.

Agenda do dia

Kim e Moon realizarão ainda nesta sexta uma segunda rodada de reuniões formais depois de participar de vários atos simbólicos, como plantar um pinheiro em cerimônia inspirada na paz.

Espera-se que os temas principais tratados nesta cúpula histórica sejam a desnuclearização da península, a manutenção do diálogo bilateral e a paz permanente entre os dois países que continuam tecnicamente em conflito desde o final da Guerra da Coreia, em 1953.

Histórico

O encontro entre as duas Coreias que acontece nesta sexta (26) é histórico: um líder norte-coreano não atravessava essa fronteira desde o fim da Guerra das Coreias (1950-53). 

Os dois países estão tecnicamente em guerra desde 1953 - um armistício foi acordado na ocasião e, desde então, não houve um tratado de paz. Era esperado que essa reunião fosse um primeiro passo no sentido de um acordo. 

Desde o início de 2018, Kim Jong-Un tem tomado uma série de iniciativas no sentido da aproximação. Além do encontro com o líder norte-coreano, nesta sexta, ele irá se reunir com o presidente dos EUA, Donald Trump, em algum momento nas próximas semanas. Também se comprometeu anteriormente a suspender os testes nucleares e de mísseis que tanto temor causaram ao mundo até o ano passado.

A Coreia do Sul parou nesta sexta-feira (27), madrugada no Brasil, para acompanhar o encontro. Aulas foram suspensas e um telão gigante foi instalado na capital Seul.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos