PUBLICIDADE
Topo

Menina de 18 meses morre ao cair de janela do 11º andar de cruzeiro

12.out.2009 - O cruzeiro Freedom of the Seas da Royal Caribbean Cruises - Getty Images
12.out.2009 - O cruzeiro Freedom of the Seas da Royal Caribbean Cruises Imagem: Getty Images

Do UOL*, em São Paulo

10/07/2019 11h53

Uma menina de 18 meses de vida morreu após cair do 11º andar de um navio-cruzeiro em Porto Rico. Segundo o advogado da família, a janela por onde a menina caiu estava "inexplicavelmente aberta" na área de recreação infantil.

A polícia de Porto Rico disse na última segunda-feira que Chloe Wiegand teria aparentemente escorregado das mãos do avô enquanto ele a segurava perto da janela. A versão inicial apresentada à imprensa era de que o avô teria colocado a menina sentada na janela.

No entanto, ontem o advogado Michael Winkleman de Miami contestou a história. "O avô não deixou a criança cair, a criança caiu devido a uma janela de vidro aberta que deveria estar fechada com segurança", disse.

Segundo ele, a criança estava brincando na área infantil do cruzeiro com o avô quando pediu para que ele a levantasse por uma parede com janelas. "Chloe queria bater no vidro como sempre fazia nos jogos de hóquei de seu irmão mais velho. Seu avô achava que havia vidro como em qualquer outro lugar, mas não havia, e ela desapareceu em um instante".

A polícia de Porto Rico, onde o navio estava atracado no momento do acidente, não quis comentar o caso à agência Associated Press. O oficial Nelson Sotelo disse à agência que os pais da menina, que são de Indiana nos Estados Unidos, aguardam a liberação do corpo da menina antes de retornar aos EUA.

De acordo com o advogado, a família não quer comentar sobre o assunto, pois estaria muito perturbada pela tragédia, e espera explicações do porquê a janela estava aberta quando deveria estar fechada com segurança.

"A família precisa de respostas para saber por que haveria uma janela aberta em uma parede cheia de janelas fixas em uma área de recreação infantil? Por que haveria o perigo sem qualquer aviso ou sinal?" questionou.

A Royal Caribbean Cruises disse em comunicado que a morte da menina era um "trágico incidente". A empresa não respondeu aos questionamentos da AP.

* Com informações da Associated Press

Internacional